Só de cueca andando por aí

31 de outubro de 2004

Olá, internautas que acessam o meu blog! Eu disse na semana passada que iria contar um sonho do dia anterior, mas eu mudei de idéia e vou contar outro sonho, que foi sonhado há mais ou menos duas semanas. Sonhei que eu estava de cueca andando por aí. Andei por um cômodo vazio cujas paredes eram amarelas e o chão, branco. Tinha algumas pessoas que me olhavam e deviam ter estranhado me ver só de cueca por aí. Então, eu saí para a rua e entrei num outro lugar. Acho que era uma loja de tintas. Porém, só tinha o vendedor de tintas, não havia nenhuma lata de tinta no local, o lugar estava vazio, sem nenhum móvel. E eu estava morrendo de vergonha por andar só de cueca na rua, tentando me esconder. Acho que eu devia ter esquecido de colocar a roupa. É que o sonho já começou comigo só de cueca e não havia nenhuma roupa para eu vestir. Estranho, né? E o pior é que já não é a primeira vez que eu sonho comigo só de cueca andando por aí! Há alguns outros sonhos que eu só me lembro de alguns trechos vagos onde eu apareço só de cueca, andando por alguns outros lugares. Suponho que eu tenha sonhado comigo tão bem à vontade devido a eu dormir apenas de cueca, do jeito que eu apareci no sonho. Se eu dormisse de terno e gravata, iria sonhar comigo vestido de terno e gravata andando por aí! Neste caso, iria ser bem melhor, porque não haveria necessidade de ficar com vergonha e me esconder, pois eu já estou vestido.

Por hoje é só! E até a semana que vem!

Anúncios

Sonho sonhado hoje

24 de outubro de 2004

Oi, internautas! Hoje eu irei contar um sonho que eu sonhei hoje. Começou assim: Eu estava jogando um tipo de video-game do Mario que no qual ele foi para a casa da Nazaré da novela das oito (e eu nem assisto essa novela), onde a Bebel do seriado “A Grande Família” estava não sei por quê. O Mario estava lá para pegar um objeto que gerou muita confusão no jogo. Acho que o objeto era uma bomba ou uma escova de cabelos. Depois, eu fui levado pela mamãe para fazer não sei o quê na sede do Partido Verde, que era um lugar todo verde, com uma letra V gigante na porta, que é o símbolo do Partido Verde. Havia um relógio de parede com o logotipo do Partido Verde na parede do lado de fora. Eu peguei esse relógio e o tirei da parede para vê-lo melhor. Aí, um homem abriu a porta e falou alguma coisa sobre o relógio. Todos nós entramos na sede do Partido Verde e eu coloquei o relógio de volta para a parede, só que do lado de dentro da sede. Daí, os homens ficaram falando não sei o quê sobre mim. Essa foi a primeira parte do sonho. O sonho é dividido em duas partes porque não há ligação direta entre as partes, apesar de uma ter haver com a outra. Na segunda parte do sonho, o São Paulo Futebol Clube estava jogando contra o Santos e estava derrotando o peixe por 5 a 2. Após eu ter saído da sede do Partido Verde não sei de que jeito (pois, no sonho, não mostra essa parte, ou então eu não me lembro), fui numa sala me encontrar com o pessoal da faculdade. Lembro-me que estavam a Cibele e o Rodrigo Ramos. Tinha outras pessoas além dos dois, mas não me lembro quem era. Comentei com os colegas: “Fala sério, fui à sede do Partido Verde hoje! Imagina se fosse a sede do PT, onde o pessoal é tudo carrancudo!” Foi mais ou menos isso que eu falei, acho que não foram exatamente com essas palavras. O jogo do São Paulo contra o Santos estava sendo exibido na televisão da sala onde nós estávamos e o Rodrigo estava torcendo para o São Paulo. Não sei para que time ele torce na vida real. A Cibele, apesar de ser corinthiana, torcia pelo São Paulo para acabar com o Santos. Eu torcia pelo São Paulo, é lógico. Eu estava sentado ao lado da Cibele. Mas depois, eu resolvi levantar e depois eu resolvi sentar de novo. A Cibele pediu para eu sentar do lado dela, mas eu sentei do outro lado. E o sonho acabou aí.

Seria legal se os internautas que acessam este blog indicassem o blog para os legais do UOL Blog, para mais gente acessar os meus sonhos, como foi da outra vez que ele foi indicado. Semana que vem, eu contarei um sonho que eu sonhei ontem. Tchau a todos e até a próxima! E deixem comentários!


Outra viagem daquelas para Curitiba

16 de outubro de 2004

Olá, internautas! Na semana passada, eu contei um sonho onde no qual eu dirigi um super-carro e fui à Curitiba em meia hora. Já faz bastante tempo que eu sonhei que eu ia ir para Curitiba em uma vã e que eu iria num dia para voltar no outro ou coisa assim (41º sonho, 25ª blogada). Agora, eu irei contar outro sonho de outra viagem para Curitiba daquelas. Acredito que este sonho tenha sido sonhado no ano de 2002. Foi assim: Eu e o meu irmão Écio entramos num veículo, que era um tipo de um carro e que ia para Curitiba numa estrada toda enfeitada e iluminada. Era de noite e as luzes da estrada davam um efeito quase que natalino. Ninguém havia contado à vovó e nem ao vovô (que moram em Curitiba) que nós estávamos a caminho da capital paranaense. Depois de bastante tempo na estrada iluminada, já de dia, chegamos a Curitiba, de surpresa. Chegamos à casa do vô e da vó e eles nos receberam surpresos, mas contentes com a nossa chegada. Acho que ficamos em Curitiba por não sei quanto tempo. E o sonho acabou aí.

Agora, eu irei contar um sonho que eu sonhei já faz vários anos, em 1991. Eu não me lembro com todos os detalhes, mas a maior parte do sonho eu ainda me lembro. Na época, eu tinha 5 anos. Foi assim: Começou quando a mamãe me levou para uma banheira feita de plástico duro e cheia de peixinhos dentro. A banheira era transparente e meio azulada. Depois, eu saí e vi o meu antigo cachorro Prince (que na época, ainda era filhote, mas hoje em dia já faleceu) em cima de uma cama com o nariz marrom. Acho que havia um mosquito no nariz dele. A mamãe chamou a atenção do Prince não sei por quê. Então, acho que eu vi uma caixa vermelha ou coisa parecida. Acho que foi só isso. Talvez havia mais coisas no sonho, mas é só isso que eu me lembro.

Tchau, pessoal, até a próxima vez!


Produção do SBT pegando bandidos

10 de outubro de 2004

Olá, pessoal! Hoje eu irei contar dois sonhos. Não sei exatamente quando estes sonhos foram sonhados, acho que foram sonhados mais ou menos num período de um a três anos atrás. O primeiro de hoje foi um sonho que eu sonhei que eu estava junto com algumas moças (acho que eram duas) acompanhando-as em uma filmagem com a produção do SBT. Acho que devia ser algum programa ao ar livre. Porém, havia uma quadrilha de bandidos perseguindo as moças. Acho que eram estelionatários. Eles pareciam ser muito maus e dava para perceber que as moças estavam com medo dos homens. Eles perseguiram as moças (e, por tabela, também a mim) durante quase todo o sonho. Até que a produção do SBT, juntamente com a polícia, começou a correr atrás dos bandidos a fim de prendê-los. Correram durante algum tempo, até que os bandidos se entalaram numa escada rolante e a produção do SBT os mandou para a cadeia. O sonho terminou tudo bem. Fala sério, o SBT virou polícia por acaso?

O segundo sonho de hoje foi um sonho bastante viajado. Sonhei que eu viajei para Curitiba dirigindo o super-carro do Superfred e que eu cheguei lá em meia hora. Acho que este sonho foi sonhado o ano passado, se eu não estou enganado. Na época (e hoje em dia também não), eu não sabia dirigir, mas mesmo assim eu peguei a estrada dirigindo o carro do Superfred, o super-herói que eu mesmo inventei, e cheguei em Curitiba meia hora depois, a aproximadamente 800 KM/h! Apesar de tamanha velocidade, dava a impressão de que o carro andava normalmente, embora as paisagens andassem muito rápido. Mesmo correndo, dava para ver algumas vacas, árvores, poças de água, barro, tudo bem rápido. E até que era fácil dirigir o super-carro do Superfred! Nem precisou mudar as marchas, pois o câmbio era automático. Era só manejar o volante e pisar nos pedais do acelerador e dos freios quando necessário. O volante era parecido com o volante do carro do video-game Need For Speed, para Playstation. Depois que eu cheguei em Curitiba, falei com os meus avós, comprei umas latas de alguma coisa que eu não me lembro e no dia seguinte retornei para Praia Grande no mesmo carro e também em meia hora. Só para vocês terem uma idéia: uma viagem de Santos para Curitiba num ônibus da Viação Catarinense dura em média seis horas! A velocidade média do ônibus gira em torno dos 67 KM/h. Para chegar em Curitiba em meia hora, o ônibus teria que viajar em média a 800 KM/h, assim como o super-carro do Superfred, que é um caro de super-herói, com todos os seus truques e acessórios super-heróicos.

Semana que vem eu contarei mais sonhos! Tchauzinho!


Sem saco para blogar

3 de outubro de 2004

Oi, pessoal! Hoje eu não estou com muito saco para blogar! Hoje eu vou contar uns trechos de alguns sonhos bem vagos que eu tive ao longo desses anos e que eu não me lembro direito.

Um trecho de um sonho que eu sonhei entre 1999 e 2001, não sei exatamente quando foi, a minha casa que fica nos fundos da casa da vovó, havia sido demolida e havia muita areia no chão. Havia também alguns pedreiros que haviam demolido a casa. Tempos depois, em 2001, na vida real, a minha casa foi reformada. Para isso, ela foi parcialmente demolida. Será que foi premonição?

Agora, um trecho de um sonho mais sacana. Em 1998, quando eu estava na sexta série, sonhei que a professora de geografia (chamada Nilsen) estava dando aula e chamou algumas das minhas colegas na frente da classe. Aí, essas colegas levantaram a camiseta e mostraram os seios! Estavam todas sem sutiã! Eu acho que o meu subconsciente é meio pornográfico!

Esse trecho de sonho foi sonhado em 1990, é bem velho. Sonhei que eu havia olhado no espelho e que havia uns bigodes enormes, bem enormes, de mais ou menos um metro e meio. Eu me assustei, dei um grito e o sonho acabou aí. Esse trecho foi o finalzinho de algum sonho que eu não me lembro mais. Também, né, faz tanto tempo que eu sonhei esse sonho!

Agora, outro trecho pornô. Não sei quando foi sonhado, mas foi mais ou menos assim: havia uma senhora com os seios de fora e eu estava com a cabeça apoiada sobre os seios dessa senhora. A senhora devia ter uns 60 anos. Esse sonho não foi tão prazeroso, a véia tinha 60 anos! Preferível substituir a véia pela Ellen Rocche ou pela Shakira, que têm seios mais firmes e não são tão idosas!

Agora, outro trecho de sonho sacana, e desta vez eu não gostei nada, nada. Sonhei que havia um jeca-tatu barbado que, de vez em quando, vinha e beijava meu rosto, deixando um monte de baba. Ui que nojo! E o pior é que ele fazia isso um monte de vezes! Vá tacar cuspe na cara de outro troxa! Que é isso!

Agora, um trecho de sonho sujo. Não sei quando foi sonhado, só sei que faz tempo. Sonhei que eu estava participando de um programa de TV ou de uma disputa com alguém ou coisa assim e eu estava vestido com um macacão laranja. Daí, o apresentador do bagulho despejou uma meleca viscosa e nojenta em mim e no meu adversário, me sujando completamente. A meleca era tipo mel, só que azul, quase verde. Nossa, mas esse trecho foi sujo!

E agora, outro trecho de sonho sujo. Também não sei quando foi sonhado. Acho que eu era criança quando eu sonhei isso. Foi assim: alguém muito nojento (acho que era uma mulher) sacou uma metralhadora de ovos gosmentos e eu, que estava sentado no sofá, fui o alvo. Os ovos segregavam um líquido muito nojento e eu ficava com asco enorme daquele troço disparado pela bazuca da moça. Até que ela não tinha uma pontaria muito boa, para minha sorte. Aí eu acho que eu reclamei com a moça (que eu nem sei se era mesmo uma moça). Só de pensar, já me dá nojo! Bléééé!!!

Antes de terminar, vou escrever aqui o trecho de sonho que no qual cimentaram a minha cara. Não sei quando eu sonhei com esse trecho, para variar. Foi assim: alguém que eu não sei quem é tacou uma camada de cimento no meu rosto e depois grudou um monte de bolachas água e sal. Depois, colocaram outra camada de cimento e outra de bolachas água e sal. Aí, outra camada de cimento e outra de água e sal. Não sei quantas camadas foram, só sei que esse sonho foi bem imbecil! Imagina só! Tacar cimento na minha cara e depois grudar bolachas de água e sal! Fala sério! Que sonho besta!

Bom, é só isso! Para quem não estava com saco de blogar, até que eu consegui encher lingüiça com esses trechos vagos! Bom, até semana que vem e tomara que eu esteja com saco para blogar! Beijo! E um beijo especial para todas as ruivas (Luciana Montoni, Luana Carminatti, etc)!