Desativando um matadouro

31 de janeiro de 2006

Olá, pessoal! Hoje eu vou escrever aqui mais um sonho, sonhado acho que no dia 28/01/2006, que foi o dia do aniversário da Sandy. Sonhei que eu estava provavelmente nos Estados Unidos, dentro de uma sala de execução de condenados à pena de morte. Lá, eu vi uma cama onde os condenados deitavam para receber a injeção letal. Não me lembro se lá também havia alguma cadeira elétrica. Mas, como eu acabava de me tornar dono daquele lugar de alguma forma, decretei que ali ninguém mais iria morrer, ou seja, o lugar seria desativado. Inclusive, disse isso a um condenado que iria ser executado naquela hora e naquele lugar onde eu havia me tornado dono. E eu dizia aquilo de uma forma toda entusiasmada, eu estava muito feliz por desativar aquele lugar. E o sonho se resumiu a isso.

O post de hoje é curtinho, mas depois eu escrevo mais. Até a próxima!

Anúncios

Entrevista com os Kamen Riders

11 de janeiro de 2006

Olá, internautas! Hoje eu tive mais um sonho cinzento! Sonhei que eu tinha ido a um lugar estranho e que eu havia faltado à aula da faculdade por causa disso. Foi assim: Eu resolvi ir a um prédio onde ia acontecer uma entrevista coletiva com os Kamen Riders. Kamen Riders são super-heróis japoneses com roupa de gafanhoto, e já existiram várias versões da série Kamen Rider no Japão, e duas delas já passaram por aqui. Eu fui a esse prédio e entrei no elevador, que era um elevador todo grandão e metálico. Era ainda de manhã, portanto, havia bastante tempo para eu ir à entrevista. Um outro detalhe é que o tempo estava nublado, mas não trovejava e nem chovia. Na verdade, todo o sonho foi cinzento. Continuando a história, assim que eu cheguei lá em cima (não sei que andar que era, só sei que era um andar bem alto, talvez o oitavo ou o décimo), procurei a sala onde iria ser realizada tal entrevista. Só que aquele andar daquele prédio era enorme, havia vários lugares, várias divisões, tinha até um pátio vazio com um chuveiro ligado. E era tudo cinza. Fui andando, fui procurando, até que eu fui parar num lugar que parecia estar ao ar livre, mas com uma certa neblina cinza. Havia banheiros (cujas portas estavam fechadas) e algumas crianças brincando. E havia areia no chão. Aí eu acho que fui a um outro lugar e eu até vi o tal Kamen Rider (que era o Black RX), mas acabei indo parar na sala de um velho. A tal entrevista (se é que aquilo poderia ser chamado de entrevista, pois eu não fiz pergunta alguma, e ninguém mais fez) acabou acontecendo ali. Aí eu fui ver no meu relógio de pulso que horas eram, e já passava das duas da tarde, que no sonho, embora na vida real seja às três da tarde, era a hora do início da aula na faculdade. Como eu já tinha perdido a hora mesmo, fiquei por ali por mais algum tempo até acabar a tal entrevista. Depois que esta se encerrou, corri para descer o prédio e assistir nem que seja a metade da aula, mas eu já nem lembrava mais o caminho para voltar. Mas eu consegui achar o elevador para descer, só que este tava tirando uma comigo, pois havia uma tábua bem no meio do elevador e o botão que eu queria estava bem atrás dessa tábua. Tive que esticar o braço para apertar o botão para o elevador descer, e não sei de que jeito eu consegui entrar naquele elevador com aquela tábua esquisita no meio. Assim que eu consegui descer, o sonho terminou e eu acordei.

Eu nunca assisti Kamen Rider na minha vida, só vi por fotos e ultimamente eu tenho dado uma pesquisada sobre Tokusatsu na Internet, vai ver que foi isso que me fez ter este sonho. Bom, até o próximo sonho!


Primeiro post de 2006!

7 de janeiro de 2006

Olá, pessoal! Feliz Ano Novo! Hoje é o dia da primeira blogada do ano! E a partir desse ano, não haverá mais a obrigação de eu atualizar uma vez por semana, atualizarei quando eu tiver algum sonho legal para contar.

Hoje eu tive um sonho legal, foi um sonho bastante interessante, pelo menos para mim. Sonhei que fui visitar a mansão da Mara (que estava meio diferente no sonho, não tinha a mesma cara da Mara da vida real). Era uma mansão enorme, com todos os familiares dela morando, e eram familiares que eu nunca tinha visto. E eu estava morrendo de vergonha. Falei com algumas poucas pessoas da casa e depois e saí me escondendo dos familiares da Mara, correndo e ficando atrás dos móveis. Eu estava com muita vergonha, mas com muita vergonha mesmo. E antes de eu sair me escondendo, eu cheguei a entrar num cômodo para provar algumas roupas que um velho guardava, e eram muitas roupas que estavam guardadas naquele cômodo. Eu diria que havia uma confecção inteira naquele cômodo. E a mansão da Mara era muito enorme, mas muito enorme mesmo, acho que aquela mansão dava um quarteirão inteiro, era muito grande mesmo, tinha cômodos e corredores que não acabavam mais. Isso sem contar na decoração e nos móveis, era coisa de gente muito rica. Tava mais para casa da Sandy do que para casa da Mara! O sonho foi basicamente isso, comigo fugindo dos parentes grã-finos da Mara simplesmente poque eu estava com vergonha.

Por hoje é só. Possivelmente, irei blogar semana que vem, se Deus quiser. Até a próxima, pessoal!