Milhares de privadas sujas e Angélica sujando a mocinha

8 de setembro de 2007

Olá! Mais um sonho sem noção será contado hoje, um sonho com muitos banheiros sujos e com a participação da Angélica (mulher do Luciano Huck) e do Rogério Ceni, o goleiro do São Paulo, que inclusive foi mijado! Me esqueci que dia foi ao certo que eu tive esse sonho, mas acho que eu tive há mais ou menos duas semanas. Este sonho é mais um daqueles divididos por partes distintas. Bom, prepare-se que o sonho vai ser meio longo…

Começou com a situação de que queriam sacrificar a Pandora, que é a minha cachorrinha, e não sei por que queriam sacrificá-la, na verdade, não sei nem quem queria sacrificá-la. Fiquei preocupado com a Pandora, mas no fim, ninguém a sacrificou. Não sei se eu tentei impedir que sacrificassem a Pandora, acho que eu nem tentei impedir, ou então eu não acreditei que iam sacrificá-la, pois ela não tinha doença nenhuma que justificasse seu sacrifício. O que importa é que não sacrificaram a Pandora. Depois, chegou um pessoal na minha casa para tratar de um assunto que eu acho que tinha a ver com a construção de um estádio de futebol ou coisa do tipo, e entre as pessoas que chegaram, estava o goleiro do São Paulo, Rogério Ceni. A minha casa estava parecida com a minha casa da vida real, na verdade, a fachada da casa, já que não me lembro de ter entrado. Então, o pessoal discutiu sobre o estádio ou sobre sei lá o quê, e a Pandora, na qual desistiram de sacrificar, tinha sido colocada numa pequena caixa de madeira com tampa a fim de não causar nenhum problema, como latir ou trepar na perna de alguém (acho que é por isso que queriam sacrificá-la, para ela não encher mais o saco, na vida real, a Pandora enche o saco às vezes, mas é lógico que ninguém daqui de casa vai sacrificar ela por causa disso), e eu fiquei com a tarefa de segurar a caixa com a Pandora e não deixar ela escapar. Em um determinado momento, a Pandora fez xixi dentro da caixa e este escorreu para fora através de uma fresta. Para que o xixi não caísse em mim, virei a caixa para a esquerda e nem vi que o goleiro do São Paulo estava bem onde eu apontei o jato de mijo. Resultado: o mijo caiu nas costas do Rogério Ceni, molhando sua camisa branca (e eu ainda o empurrei levemente, tentando evitar que ele fosse mijado pela Pandora, em vão), no entanto, ele nem percebeu que havia sido mijado. Só depois que ele e o resto do pessoal decidiram ir embora é que o goleiro percebeu que estava molhado com um líquido amarelado. E ainda por cima, ele pensou que fosse fluído de freio ou algo que estava no banco do carro dele! Daí, ele foi para o carro dele (um carro preto, devia ser um Gol ou um Mercedes Classe A, acredito que seja um Gol), que estava estacionado na rua, e o resto do pessoal foi tudo embora, assim como o Rogério, ou seja, a reunião havia acabado. Então, essa parte do sonho terminou.

As próximas partes do sonho não têm ligação com a parte anterior e não sei exatamente qual a ordem das partes, quais vieram primeiro e quais vieram depois, vou escrevendo aqui as que eu acho que têm uma provável ordem, embora possa muito provavelmente não ser a ordem correta. Algumas delas aconteceram em um mesmo prédio, em setores diferentes. Eu diria que este sonho girou ao redor deste prédio (um enorme prédio).

Essa próxima parte que irei contar foi meio vaga (ou eu me esqueci de alguns detalhes). Eu estava num prédio (o prédio que eu acabei de falar), em um recinto cheio de gente, acho que tinha uma bancada, não me lembro direito, mas acho que era uma reunião da associação de alguma coisa da qual eu fazia parte, tipo um clube dos bam-bam-bans ou coisa assim. Parece que eu e o resto dos presentes tínhamos identidades secretas, pois o clube era secreto. Talvez esse tal clube seja até um clube de pessoas com poderes especiais, embora em nenhuma parte do sonho alguém manifestou algum poder desse tipo, mas provavelmente o clube devia ser uma espécie de MIB Homens de Preto, embora ninguém vestia preto e não tinha nada a ver com ETs ou coisas do gênero. Depois da reunião, que eu não me lembro direito como foi, saí e um colega meu, de óculos, terno e gravata, que inclusive era meu amigo no sonho, veio comigo. O terno dele era de uma cor meio incomum, era tipo um verde meio que marrom claro, não dá para descrever direito. Ele estava sério, acho que pensava que eu ia revelar minha identidade para alguém, mas depois sorriu. Fui para não sei onde, talvez a cozinha, mas não me lembro onde fui. Essa parte deve ter acabado mais ou menos por aí.

Numa outra parte do sonho com um pouco mais de graça do que a anterior (pelo menos, para mim), fui parar em outro ambiente que aparentemente ficava fora do prédio que eu havia falado (e onde se sucedeu a reunião do tal clube), ficava mais precisamente na sala onde estou neste momento postando isto que vocês estão lendo agora, só que um pouquinho diferente, estava meio escuro o ambiente (na verdade, estava de noite, com as luzes apagadas) e com a TV ligada, dando o Videogame da Angélica (aquele quadro que passa no final do Video Show, mas espere aí, Videogame da Angélica de noite?). Então, começou a trovejar e me mandaram desligar a TV, e esta foi desligada. Pouco tempo depois, parece que os trovões haviam passado e eu liguei novamente a TV. Poucos segundos depois, fui parar novamente no prédio (acredito eu), onde o Videogame da Angélica acontecia ao vivo e era realizado meio que improvisadamente numa espécie de almoxarifado cheio de cacarecos, algo bem pobre mesmo, se bobear, não tinha nem platéia, embora eu estivesse assistindo ao vivo o bagulho. Em nenhum momento foi mostrado quais eram os convidados da semana, inclusive, a parte que eu vi era a da prova da platéia (devia ter platéia, já que houve essa prova), se bem que a prova da platéia do Videogame do sonho nada se parecia com a prova da platéia do Videogame do Video Show da vida real. A tal prova consistia em uma única convidada da platéia que ficava encostada na parede de azulejos e ela tinha que fazer não sei o quê (não me lembro ao certo o que ela tinha que fazer, mas acho que ela tinha que responder a alguma pergunta ou acertar uma vareta em um determinado alvo), e se ela errasse a resposta (ou a pontaria), a Angélica tacava alguma coisa suja na cabeça dela. Durante a tal prova, o cenário mudou inexplicavelmente de um instante para outro, inclusive mudou o tipo de parede. A convidada da platéia era uma moça loira de cabelos lisos e meio tímida. E a Angélica concedeu a primeira tentativa à moça, que errou a resposta (ou a pontaria, não sei o que era para ela fazer exatamente), então, a apresentadora tuchou um mamão mole sem sementes e cortado em quatro na cabeça da convidada, com a casca para cima, em seguida, um punhado de aveia caiu do teto, mas não pegou a cabeça da moça, caiu ao lado dela, à esquerda. O cabelo da mocinha ficou todo sujo de mamão e a Angélica fez cara de safada, como se estivesse gostando daquilo. Daí, a apresentadora do Videogame concedeu mais uma tentativa à mocinha, que novamente não conseguiu acertar. Essa foi ainda pior: um doce com pregos caiu sobre a cabeça da pobre convidada e esta, após ser atingida, fez cara de que havia sido ferida pelo doce, fez cara de dor, como se os pregos fincados a estivessem incomodando, embora nenhum sangue saiu de sua cabeça. Curioso para saber que gosto tinha aquilo, peguei um dos flocos daquele doce cheio de pregos de cima da cabeça dela e comi, e até que não era tão ruim, embora tivesse pregos, que nem feriram minha boca, mas o doce era bem doce. O interessante é que, na hora que eu estiquei a mão para pegar o doce de cima da cabeça da garota a fim de provar este, havia uma tela de TV separando o programa de mim, embora eu estivesse no estúdio, na verdade, quase do lado da Angélica. Por fim, a Angélica concedeu a terceira e última tentativa à pobre loirinha, tentativa essa também falha, fazendo com que outra coisa suja fosse despejada sobre sua linda cabeça. Dessa vez, não me lembro o que foi despejado sobre a moça. Depois disso, não sei como terminou o bagulho da Angélica e então acabou essa parte do sonho.

Teve uma parte do sonho onde eu fui fazer não sei o quê na biblioteca da FATEC ou de não sei que outro lugar, e havia vários livros e discos. Discos mesmo, daqueles de 33 rotações. E eu andava dentro da biblioteca dentro de um carrinho de supermercado. Obviamente, a biblioteca do sonho era maior do que a biblioteca da vida real, pois a da vida real é praticamente um cubículo, impossibilitando o tráfego de carrinhos de supermercado, embora seja uma biblioteca de faculdade. Esse é um dos problemas da FATEC Praia Grande na vida real. Voltando ao sonho, eu tava no meio das prateleiras com livros e discos e eu achei uma coleção de discos da IBM (International Business Machines). Segundo o diretor da FATEC (o Nilson, que tava meio diferente do da vida real, inclusive com uma voz diferente), que apareceu na biblioteca (e ele não andava de carrinho de supermercado), os discos foram dados pela IBM numa palestra que alguns executivos dessa empresa ministraram, e tais discos continham os vídeos dessas palestras. Ou seja, neste sonho, os antigos discos de vinil podiam armazenar vídeos. O Nilson também disse que aquela coleção de discos era uma coleção muito importante, uma das coleções de discos mais valiosas da biblioteca. Olhei para os discos por alguns instantes e depois eu os guardei novamente, então eu saí da biblioteca, ou então eu fiquei por mais algum tempo vendo outros discos e depois saí, não me lembro direito. Então, acabou essa parte.

Agora vou escrever a parte dos banheiros sujos, a principal e última parte deste sonho. Não tenho certeza, mas essa parte parece que aconteceu logo após a parte da reunião do clube secreto, neste caso, tal parte aconteceu depois de todas as outras partes relatadas até o momento, porém, como eu já disse, não tenho certeza disso. Adentrei o setor de banheiros do prédio. E havia muitos, muitos banheiros, acho que tinha mais de mil banheiros, desses que tem portinha e que a gente entra, faz pipi, dá descarga (ou não) e vai embora. E todos eles eram pretos, as portas eram pretas e o interior dos banheiros era preto. E eu estava com vontade de tirar uma água do joelho (não é bem do joelho onde vai sair a água), só que eu não queria fazer isso perto de ninguém e tinha medo que alguém me visse, pois eu não podia revelar a minha identidade (há aí uma clara ligação entre essa parte e a parte da reunião do clube secreto). Nisso, fui adentrando os corredores que ficavam entre os banheiros (e que davam acesso a estes) a fim de escolher um banheiro bem escondidinho e bem limpinho para eu urinar. Todavia, cada vez que eu escolhia um banheiro, este estava sujo, alguns estavam em um estado completamente deplorável, tudo cheio de meleca (não sei que tipo de meleca era, talvez excrementos ou gordura, ou então vários tipos de melecas). O pior é que eu ouvia um barulho de uma TV ligada, logo, devia haver gente por perto e eu não queria ser visto. Depois de entrar em vários banheiros sujos, encontrei a TV de onde saía o barulho de TV. Era uma TV de cinco polegadas com uma imagem meio ruim que ficava em cima de uma mesa cheia de telefones, radiocomunicadores e outros objetos, e havia algumas cadeiras com coletes da polícia pendurados. A tal mesa era um posto policial que funcionava dentro da seção de banheiros do prédio, entretanto, não vi nenhum policial por perto. Depois de dar uma olhada no posto policial, continuei a procurar por um banheiro discreto e suficientemente limpo para que eu pudesse fazer pipi. Embora eu fizesse pipi de pé, o que dá a vantagem de não precisar encostar no vaso para urinar, eu fazia questão de que o banheiro fosse limpo para eu não me sujar com alguma meleca nojenta caso eu encostasse acidentalmente na privada. Acabei por retornar para perto da entrada do setor de banheiros do prédio, que agora já estava com algumas pessoas circulando, inclusive um policial. Havia também banheiros enfileirados, mas em menor número do que na parte mais ao fundo do setor. Como eu queria muito ir ao banheiro (embora não tivesse a sensação física da vontade de urinar), resolvi ir num que tava bem na cara de todo mundo, um banheiro que aparentemente estava limpo e possuía a porta e as paredes transparentes. Detalhe: o banheiro em questão não possuía privada, mas sim uma mesa, uma cadeira e uma mulher dentro. Só que um homem entrou na minha frente, ou melhor, ficou só na porta, não deixando ninguém entrar. Como ele não entrava, tentei entrar pedindo licença a ele, mas o coiso me empurrou e fez um som meio esquisito com a boca. Desisti de ir ao banheiro. Instantes depois, um senhor tentou ir nesse mesmo banheiro e o louco continuava lá atravancando a passagem. Este empurrou o senhor do mesmo jeito que ele me empurrou, além de fazer o som esquisito com a boca. Fiquei indignado, chamei o guarda e disse a ele: “Guarda, prenda esse homem!” e então o guarda foi até o banheiro onde o louco estava e o prendeu. Finalmente com o banheiro livre, pude entrar nele. Como eu já havia dito, havia uma mulher sentada numa cadeira e uma mesa, e não uma privada dentro, eu acho que aquela moça era uma médica ou uma professora, pois vestia roupas brancas. Ela devia ter de 35 a 45 anos mais ou menos e seus cabelos eram lisos e alaranjados e estavam presos. No interior do banheiro (que não era bem um banheiro, como dá para deduzir, mas ainda assim eu considerava como sendo um banheiro), eu não urinei em lugar algum, e sim eu falei não sei o quê com a mulher, ou seja, eu conversei um pouco com ela, e a minha vontade psíquica (vamos dizer assim, pois vontade física não havia) de tirar a água do joelho havia passado. Pouco tempo depois, saímos do prédio e fomos para o lado de fora deste, não me lembro de ter saído, só me lembro do momento que eu já estava lá fora junto com a moça do banheiro, nós conversávamos e inclusive comentei sobre o louco que ficou atravancando a passagem. O sonho se encerrou após essa parte.

Nossa, mas este sonho foi comprido e cheio de detalhes! Confesso que demorei alguns dias para escrever este post (daí a razão da demora para postar), escrevendo umas partes quando dava tempo, e hoje finalmente eu terminei. Então, espero que você tenha curtido este sonho maluco com detalhes e até a próxima blogada!