Dispositivos USB do capeta e a nova calça do Allan

2 de junho de 2012

Olá, internautas! Depois de mais de um mês sem postar, cá estou eu novamente!

Há um pouco mais de um mês atrás, sonhei que existiam alguns dispositivos USB semelhantes a pendrives, mas que, caso fossem plugados a algum computador, acendiam um led vermelho e começavam a realizar atividades estranhas que eu nem sei direito que atividades eram, mas eram atividades “do mal”.

Me parece que aqueles dispositivos tiveram seu firmware alterado para fazerem atividades diferentes de seu propósito original. Inclusive, versões desse mesmo dispositivo USB sem ter o firmware alterado acendiam um led azul ao serem plugados em um computador. Não sei qual era o propósito original dos dispositivos (acho que eram bluetooth dongles), mas os dispositivos com firmware alterado, creio eu, se conectavam a redes de computadores com finalidades ilícitas (não sei quais eram essas finalidades, mas sei que eram ilícitas).

Cheguei a ver na TV uma reportagem acerca desses dispositivos endemoniados e, inclusive, tive um em minhas mãos e cheguei a plugá-lo em meu notebook, e o mesmo acendeu o led vermelho. O coiso não ficou muito tempo plugado, pois despluguei o bagulho instantes depois para que o mesmo não causasse nenhum mal. O que eu me lembro do sonho foi isso.

Como esse sonho foi um pouco mixuruca e já faz um tempo que não escrevo neste blog, irei postar mais um sonho, sonhado na última noite na qual estive dormindo, a anterior a esta (nesta eu ainda não fui dormir, pois estou escrevendo isso).

A parte que me lembro começou quando eu estava me preparando para ir até algum lugar que eu ainda estava me decidindo qual seria, eu estava em dúvida se eu ia viajar para Praia Grande, onde mora minha família (eu estava em São Paulo, não sei em que lugar, acho que eu estava na casa de outra pessoa), ou se eu ia até meu quarto na pensão, onde estou morando atualmente, e aí eu aproveitava que eu ia para lá e pegava meu notebook, e só depois eu ia para Praia Grande (para ir até meu quarto, eu teria que pegar metrô, pois eu estava num lugar um pouco longe de onde fica a pensão), ou se eu eu ia para outro lugar.

Naquele momento, eu estava sem calça, apenas de camisa e cueca, e não sei que calçado eu estava usando, acho que estava de chinelos, embora eu não costume andar de chinelos por São Paulo. Acho que eu estava pensando em dar uma passada no meu quarto a fim de pegar uma calça para eu vestir (aí eu ia ter que pegar metrô sem calça, mas ia ser menos pior do que ir para Praia Grande sem calça).

Entretanto, antes que eu pudesse decidir para onde eu iria, alguém do lugar onde eu estava (acho que era uma mulher) me forneceu uma calça, que estava dentro de uma sacola, ou de um embrulho, ou de algo do tipo. Quando eu abri o coiso, vi que era uma calça de couro preta, que possuía bolsos tanto no bumbum quanto nas laterais e nas pernas, dessas que ficam bem em mulheres, mas que em homens soariam meio gay (não tenho nada contra homens que usem calça de couro, nem contra gays, e não necessariamente que um homem que use calça de couro seja gay). Ainda assim, para não continuar sem calça, vesti aquela bonita calça de couro e fiquei com a mesma até o fim do sonho.

Depois de vestir a calça, eu fui para não sei que lugar (acabei não indo nem para Praia Grande e nem para meu quarto na pensão), ou então eu permaneci naquele mesmo lugar onde eu estava, sei lá. Daí, eu fiquei falando com uma mulher que morava por lá (talvez tenha sido ela que me forneceu a calça), era uma moça bonita de cabelo curto e marrom, e ela falava comigo de uma forma descontraída, como se fossemos muito amigos. Acho que estávamos na sala daquela residência. Lembro-me que a moça trajava uma camisa roxa. Acho que nós nos falamos até o término do sonho. A primeira coisa que eu fiz após acordar era ver se eu estava vestindo aquela calça de couro (obviamente, eu não estava, eu estava sem calça).

Até o próximo post, aqui neste mesmo blog!

Anúncios