Bento XVI ovacionado!

30 de julho de 2007

Olá, internautas! Hoje, eu irei contar o sonho que eu tive no período que o papa Bento XVI esteve aqui pela última vez no Brasil, mais precisamente no final desse período. Sonhei justamente com o papa, e inclusive, me encontrei com ele neste sonho. Eu estava numa sala que ficava numa casa e havia várias pessoas naquela casa, inclusive algumas crianças. Então, chegou o papa Bento XVI e sentou do meu lado, num banco daqueles compridos que dá para sentar um monte de gente, e o papa ficou conversando com o pessoal. Ele estava “tudo normal” e inclusive enxergava bem. Não me lembro do papa saindo e se despedindo do pessoal da casa, mas provavelmente ele deve ter se despedido de todo mundo, embora eu não me lembre. Numa outra parte do sonho, eu estava vendo na TV mais uma cerimônia onde o Bento XVI celebrava, e ele estava trajando roupas brancas e douradas (na parte anterior, ele usava roupas brancas e vermelhas). O papa carregava um enorme prato cheio de ovos empilhados e tomava cuidados para estes ovos não caírem no chão. Nesta parte do sonho, o Bento XVI era cego, embora ninguém o auxiliasse a andar no caminho que ele tinha que andar. Então, o papa passou mal e caiu para trás, derrubando todos os ovos em cima dele mesmo e sujando-o completamente, para tristeza e comoção de todos os fiéis presentes naquela cerimônia. Ele não foi socorrido de imediato, mas depois o levaram para o hospital, onde informaram que ele estava entre a vida e a morte. Ao ver aquilo pela televisão, pensei comigo mesmo: “É mais um papa que vai para o saco!” ou algo do tipo, dizendo que seria mais um papa que vai acabar morrendo logo, depois do João Paulo II. Depois que o papa foi internado, ficaram mostrando na TV reprises das cenas dele passando mal e dele estendido no chão, todo sujo de ovos. E o sonho terminou por aí.

Como este sonho de hoje foi meio que curto, estarei contando outro sonho, um sonho que eu sonhei no dia 16 ou no dia 17 de novembro de 2006, um sonho que eu fiquei de postar faz tempo, que é o sonho que eu sonhei que eu estava em Cuba, mais um sonho que eu sonhei que eu estava em um país distante. Cuba era meio que esquisita no sonho, não é nada do que a gente está acostumada a ver na TV sobre Cuba, era um país com uns carros meios esquisitos, eram carros azuis feitos com uma espécie de arame que andavam em uma espécie de trilho e que adentravam um prédio onde ficavam algumas pessoas, inclusive a Vanda, minha terapeuta na qual eu me trato com ela com florais. O prédio em questão era um prédio que aparentava estar em construção, com as vigas aparecendo e em alguns lugares meio que sem paredes, mas havia gente morando, com apartamentos e tudo mais, embora fosse diferente do que a gente está acostumada a ver. Cheguei a sair do prédio e dar uma olhada na rua, basicamente, havia a rua e outros prédios semelhantes ao que eu estava. O sonho passou quase que na sua totalidade dentro deste prédio. E foi só isso (demorei tanto para postar este sonho para postar só isso).

Este post termina aqui! Beijo para as mulheres que acessam este blog e até o próximo post!


Carlos Morimoto e a chuva de ETs

15 de julho de 2007

Olá, internautas! Depois de quase quatro meses sem postar, estou aqui para fazer a reinauguração deste blog! A partir deste post em diante, irei postar com uma freqüência mínima de duas em duas semanas (é provável que eu poste em intervalos menores, mas eu já deixo avisado que o intervalo entre as postagens é este para caso não seja possível postar numa determinada semana). A razão de eu ter deixado de postar durante todo esse tempo, como já foi adiantado em posts anteriores, foi a minha falta de tempo para postar devido à confecção do meu TCC da faculdade, que me comeu grande parte do meu tempo, fiquei sem tempo inclusive para tocar outros projetos meus, como as histórias do Superfred que eu escrevo e os softwares que eu desenvolvo (AOPT, Capetrivia e até o Sistema Visualizador dos Sonhos do Allan, que eu iria disponibilizar em fevereiro e depois ficou para este mês, mas vai ficar para janeiro do ano que vem, juntamente com a nova edição do e-book dos Sonhos do Allan, livro em formato digital contendo todos os posts deste blog, um dos motivos para eu disponibilizar só em janeiro é a quantidade pequena de posts acrescidos à nova edição em relação à anterior). E como meu TCC já acabou e eu tirei 10 (estou agora de férias), tenho novamente tempo para atualizar este blog, ainda mais que eu não parei de sonhar durante todo esse tempo.

Chega de lenga-lenga e vamos ao que interessa, que é o sonho que irei postar hoje, que eu acredito ter sonhado no dia 25 de maio deste ano, se não me falha a memória. Não sei se eu sonhei este sonho neste dia, mas se não foi, deve ser mais ou menos perto desse dia. No sonho em questão, que teve a participação de Carlos E. Morimoto, mantenedor do Kurumin Linux e o principal integrante da equipe do site Guia do Hardware.Net, este relatava neste mesmo site suas aventuras dirigindo o Fusca azul da minha mãe, inclusive, ele postava fotos dessas aventuras dele no Guia do Hardware.Net, que (pelo menos no sonho) não tinha nada a ver com hardware. O Fusca da minha mãe ficava na garagem da minha casa (que era um bastante diferente da minha casa da vida real), aí vinha o Morimoto e pegava esse Fusca emprestado. Ele fazia isso durante uma boa parte do sonho, e eu acessava o Guia do Hardware.Net para ler o relato dessas aventuras, que eram escritas com um certo toque humorístico. Pelos relatos do site, dava para ver que o Morimoto ia para tudo quanto é lugar com o Fusca. Até que, certo dia, o Morimoto postou em seu site que o Fusca da minha mãe havia sido roubado e que havia pego outro carro emprestado para continuar com suas aventuras, e até postou a foto desse outro carro (um carro que mais parecia carro de filme de ficção científica, um carro meio esquisitão). Embora eu tenha achado o outro carro engraçado, fiquei preocupado com o fato do Fusca ter sido roubado, e então, fui contar para a minha mãe sobre o ocorrido com o carro dela. Ela disse que já sabia do ocorrido e me disse que o número de roubos havia aumentado muito ultimamente na região, disse também para eu tomar cuidado com a criminalidade. Então, passei a ter medo de sair de casa. Depois, numa outra parte do sonho, fiquei lendo e-mails a partir do meu programa leitor de e-mails (na vida real, é o Thunderbird, no sonho eu não sei, mas parecia ser o Thunderbird também, embora com uma cara meio diferente (meio azul) e com algumas outras funcionalidades meio absurdas). Eu via os e-mails num computador meio diferente, ficava num outro lugar da casa, um lugar não muito iluminado, e seu monitor era bem grande, acho que com umas 21 polegadas ou mais. No sonho, era possível enviar dinheiro anexado ao e-mail, e alguns e-mails que eu recebia vinham com dinheiro dentro, geralmente eram pagamentos referentes a pedidos de encomendas de DVDs do Debian GNU/Linux 4.0 que eu vendo, tanto no sonho quanto na vida real, a 34 reais o conjunto de três DVDs. Na vida real, eu sou vendedor oficial do Debian, meu nome consta inclusive na página do site do Debian sobre os vendedores oficiais dessa distribuição Linux. É lógico que na vida real os pagamentos não são feitos por e-mail e sim por depósito bancário (e a confirmação do depósito se dá por e-mail), mas no sonho, o comprador dos três DVDs do Debian enviava por e-mail, juntamente com o endereço para envio, 34 reais (não faço a mínima idéia de como sacar esse dinheiro). Então, eu anotava os pedidos para depois eu gravar os DVDs e enviá-los pelo correio, assim como eu faço na vida real (porém, em nenhuma parte do sonho eu enviei os pedidos). Além dos e-mails contendo dinheiro e informando o endereço do comprador do Debian para o envio dos DVDs, eu recebia também muitos e-mails SPAM, ou seja, aqueles e-mails sobre como aumentar o tamanho do pênis, sobre remédios para emagrecer, e-mails contendo links suspeitos e e-mails com caracteres sem nexo, ou seja, esses e-mails que eu vivo recebendo aos montes, na vida real. Esses e-mails sempre constavam como tendo R$0,00, ou seja, nenhum dinheiro anexado. Eu também recebia outros e-mails, como na minha rotina real, e-mails estes também se nenhum dinheiro anexado. Então, depois de ter aberto vários e-mails, recebi um e-mail bastante misterioso, um e-mail aparentemente SPAM, mas que continha 14 reais. Pensei comigo mesmo: “O que foi que o cara que enviou esse e-mail comprou, eu não vendo nada a 14 reais!”, ou algo do tipo, e li o e-mail. Só que o sujeito que enviou o e-mail escreveu algo completamente sem nexo, um texto que não dava para entender o que ele queria dizer. O texto parecia ter sido escrito por um lunático e continha uns desenhos do que parecia ser discos voadores (na hora, eu não associei aqueles desenhos a discos voadores, mas depois de eu ter acordado do sonho e pensado um pouco, acabei fazendo essa associação), além de outros símbolos estranhos. Daí, como o e-mail era comprido, resolvi descer a barra de rolagem rapidamente, então eu vi que, ao fazer isso, o e-mail exibia um efeito visual muito luminoso e piscante, um efeito um tanto quanto misterioso e intrigante contendo várias cores (na verdade, vários caracteres ASCII coloridos, mas ainda assim era um efeito espetacular). O efeito visual era tão luminoso e piscava tanto que eu até parei um pouco de olhar para o e-mail para não ficar cego. Depois de ter descido até o fim do e-mail e de ter deixado de ver a maior parte deste (obviamente), cliquei no botão “Responder” do Thunderbird (eu falo Thunderbird porque é o leitor de e-mails que eu uso na vida real, na verdade, eu não sei que leitor de e-mails era aquele que eu usava no sonho) e digitei na mensagem a seguinte frase, juntamente com uma cópia da mensagem original: “Vá se foder!” e cliquei no botão “Enviar”, enviando a resposta daquele e-mail ao lunático que me escreveu. Alguns minutos depois de eu ter respondido aquilo, começou a chover bebês alienígenas de pára-quedas sobre minha casa, provavelmente jogados de um disco-voador que passava por ali. Daí, saí rapidamente para o jardim (a minha casa tinha jardim no sonho) a fim de recolher os ETs que caíam no gramado. Não só eu recolhia os ETs, algumas garotas também apareceram (não sei de onde) para me ajudar a recolher aqueles aliens. Eu devo ter recolhido uns três ou quatro bebês (acho que eram três), as garotas foram rápidas e conseguiram pegar os demais. As garotas deviam ter mais ou menos entre 16 e 22 anos, pela aparência física delas, e eu não sei quantas eram, mas acho que devia ter mais de dez moças catando os ETs. Aí as garotas pularam para o interior de um disco voador que ficava parado sobrevoando o alto da minha casa, pularam bem alto para chegar à porta de entrada deste, e eu fui atrás, levando os bebês ETs que eu carregava comigo. O disco voador para onde as moças foram era outro disco voador, não era o mesmo que jogou os pirralhos. Inclusive, o disco voador era tipo um conjunto de apartamentos, tinha vários corredores, quartos, cômodos diversos e várias outras pessoas morando lá, todas essas pessoas do sexo feminino, na sua maioria jovens, e eram pessoas humanas, não eram garotas ETs, embora morassem num disco voador. Eu segui as garotas carregando os ETs que eu havia pego e passei por alguns cômodos, inclusive uma cozinha, seguindo pelo corredor principal, que era comprido e possuía várias portas que davam para outros cômodos, na sua maioria (ou na sua totalidade, não sei ao certo) quartos. Lembro-me de ter passado em frente a um quarto de uma garota bonita que estava enrolada numa toalha, e o quarto estava com a porta aberta, obviamente (senão, eu não tinha visto nada). Chegando ao final do corredor, eu e algumas garotas adentramos um quarto onde havia uma senhora sentada numa cadeira e deixamos dois dos pequenos aliens numa cama ou num pequeno colchão, ou em algum outro lugar macio (não sei identificar onde eles foram deixados). Não me lembro se os dois aliens eram os que eu estava carregando (para onde foi o terceiro eu não sei) ou se eram outros aliens trazidos por alguma das garotas. Na verdade, não me lembro nem de ter entrado no disco voador e andado no interior deste segurando os aliens, acho que até eles foram tirados de mim no momento ou um pouco depois de eu ter adentrado aquele veículo espacial com cara de apartamento. Em todo o caso, foram deixados naquele quarto dois bebês alienígenas sobre uma cama ou sei lá o quê, e ficamos naquele quarto conversando sobre o ocorrido com tais bebês. O quarto não era lá muito grande, era um quarto normal (ou quase), tinha uns móveis diferentes, havia o que parecia ser uma lousa marrom, um armário, a cadeira onde a senhora estava sentada e mais alguns móveis que não me lembro, além da senhora sentada na cadeira, de mim, dos bebês e de algumas garotas, que eu acho (não me lembro ao certo) que eram três. O quarto também tinha uma janelinha meio esquisita, que mais parecia uma escotilha de navio, mas que dava para ver o céu, que estava escuro, pois essa parte do sonho se passou à noite (a outra parte, onde o Morimoto andava com o Fusca da minha mãe e que este foi roubado, se passava toda de dia ou ao entardecer). Enquanto nós ficávamos batendo papo (quer dizer, a senhora e as garotas batiam papo, pois eu ficava quieto, só observando, como sempre), os ETzinhos faziam algumas coisas esquisitas, como falar algumas coisas sem nexo e levantar e dar umas voltinhas. Estes ETzinhos, bem como todos os outros recolhidos pelas moças e por mim, até eram parecidos com bebês humanos, possuíam apenas algumas diferenças em relação à nossa espécie, como duas antenas de rádio na cabeça (e as antenas eram da cor da pele deles) e o fato da cor da pele deles ser de uma tonalidade meio esquisita, uma cor parecida com a da pele de uma pessoa normal, só que com cara de artificial, não sei dizer que cor era exatamente, além de terem os olhos um pouco avantajados. O sonho deve ter terminado alguns momentos depois, visto que não aconteceu mais nada após eu adentrar naquele quarto e ver os bebês fazerem umas coisas esquisitas de vez em quando.

Se você der uma pequena raciocinada (acho que já deve ter dado), vai chegar à conclusão de que quem jogou aqueles bebês ETs sobre minha casa era a mesma pessoa que me mandou aquele e-mail esquisito e cheio de dizeres estranhos e símbolos de discos voadores, ou seja, neste sonho, recebi um e-mail de um ET que queria se comunicar comigo de alguma forma (e não foi bem sucedido, pois eu não entendi bulhufas e ainda mandei ele se foder, se ele entendeu a minha resposta, eu não sei), então, depois de eu ter respondido a aquele e-mail de forma grosseira, ele despejou vários bebês sobre minha casa, talvez como represália por eu ter mandado ele se foder ou talvez o e-mail que ele mandou era para dizer que queria que eu cuidasse dos filhos dele e aqueles 14 reais era alguma ajuda de custo (uma mixaria, por sinal). Ou seja, mais um sonho doido para a coleção! Êita, subconsciente com imaginação fértil da porra!

E eu vou ficando por aqui. Daqui a duas semanas ou menos, irei postar outro sonho daqueles, ainda mais que eu tenho bastante tempo para postar. Um grande abraços a todos os meus internautas e até o próximo post! Ah, e se quiserem baixar a monografia do TCC que eu fiz (e tirei 10), utilize o link na lista de links do menu à direita, lá, dentre outros links, há o link para download direto da minha monografia em PDF!