Sonho hacker

27 de março de 2004

Olá, internautas! Hoje eu vou contar um sonho que eu tive esta semana. Sonhei com os colegas da FATEC, a Cibele, o Rodrigo, a Michele, enfim, esse grupinho aí que todo mundo já conhece. No sonho, eles tinham entrado para um grupo de hackers e gritavam bem alto uma espécie de grito de guerra. Nesse mesmo sonho, vi na televisão uma reportagem sobre produtos que são produzidos para estragar antes de ir à mesa do consumidor. Daí o repórter foi junto comigo até uma loja de produtos para uso veterinário para acusar algum produto já programado para estragar. O repórter analisou um frasco de um produto que, segundo o rótulo, era para uso em cachorros e servia para hackear computadores vulneráveis a ataques hackers. O produto era branco, mas de repente, começou a escurecer depressa, impressionando a mim e ao repórter. A partir daí eu não me lembro de mais nada.

Semana que vem eu escrevo um sonho melhorzinho. Tchauzinho, pessoal!

Anúncios

Darker Webert

20 de março de 2004

Olá! Hoje eu vou contar um sonho que eu tive já faz anos, um sonho que deve ter acontecido em meados de 1995 ou 1996. Sonhei que eu estava na casa de uma moça muito bonita que usava óculos escuros e tinha cabelo curto. Essa moça, na verdade, eu havia a inventado nas minhas brincadeiras de criança da época e se chamava Darker Webert (um nome bastante “complicated”). Essa moça trajava blusa branca e calça preta e usava um chapéu preto na cabeça. De repente, apareceram três garotos de desenho animado pedalando em três bicicletas, uma para cada um. Os três garotos eram trigêmeos. Aí a moça foi até os moleques e os expulsou dali. Porém, eu não ouvi a voz dela. Algum tempo depois, lá estavam os três moleques de bicicleta e mais uma vez a Darker Webert pôs os três para fora. Alguns momentos depois, apareceram novamente os três pentelhos, e outra vez a moça os tocou dali. E eu não ouvia a voz dela, mesmo ela gritando para os pentelhos de desenho animado caírem fora. O sonho foi só isso, bem besta, eu coloquei este sonho porque não tinha mais nada para colocar. Semana que vem, quem sabe, eu não conte um sonho um pouquinho melhor. Pus este sonho só para não deixar em branco. Beijo para as garotas! Tchau!!!


Batman nordestino

14 de março de 2004

Olá, internautas! Hoje eu vou contar um sonho que eu tive já faz não sei quanto tempo. Acho que foi no ano passado. Sonhei que eu e meus colegas de classe do ano passado (3º Colegial B) fomos de avião para o nordeste. Junto comigo, viajava um anão com bigodes azuis que era uma espécie de “fiel companheiro” meu. O avião fez escala numa cidade nordestina que eu não sabia qual era. Todos desceram do avião para dar uma andada e esticar as pernas. Mas, quando chegou a hora de voltar ao avião, eu e o fiel companheiro nos atrasamos e o avião partiu sem a gente. Aí começou a nossa aventura. Eu e o anão fomos até um rancho de madeira onde a gente dormiu, eu acho que era uma espécie de barraco. No dia seguinte, um certo sujeito da capa preta chamado Batman nos convidou para nos hospedar na casa dele. Este Batman era bem parecido com o Batman super-herói e usava um chapéu azul. A casa dele era bastante esquisita, tinha paredes pretas e tinha uma péssima iluminação. Ele devia ser muito fascinado pelo Batman super-herói. Aí o Batman (dono da casa) nos ofereceu algumas bolachas. Quem trouxe as bolachas foi uma moça muito bonita cuja camiseta que vestia era bastante larga. Na verdade, não era nem uma camiseta, era uma regata bastante folgada, e ela estava sem sutiã, ou seja, dava para ver os seios dela, nos quais eram muito bonitos. Não sei se essa moça era empregada do Batman ou filha dele, ou então amiga dele, só sei que morava na casa junto com ele. Não sei qual era o nome da moça. A gente conversou um pouco com o Batman e com a moça. A moça não quis se sentar, preferiu ficar em pé. E eu, de vez em quando olhando para os seios dela que ficavam meio a mostra. A conversa tava muito boa, quando de repente apareceu uma inimiga que se parecia com a Mulher-Gato. Essa inimiga odiava o Batman e começou a duelar contra ele e contra mim e o meu fiel companheiro anão. Ela girava, berrava, fazia um monte de coisas esquisitas, parecia uma louca. Ela trajava uma roupa meio preta meio rosa. E nós, tentando conter a fúria da Mulher-Gato falsificada. A moça da blusa folgadona não participou do duelo. Mas a gente duelou tanto, mas tanto, que no final o Batman e a Mulher-Gato ficaram amigos. Depois disso, a gente resolveu ir embora da casa do Batman. Eu e o anão nos despedimos do Batman, da Mulher-Gato e da moça que nos serviu as bolachas e depois voltamos ao barraco de madeira. Um dia depois, o avião com o pessoal da classe retornou e a gente embarcou para voltar para casa. No caminho de volta, eu e o anão contamos aos colegas de classe como tinha sido a nossa aventura na casa do “Batman”. O sonho terminou no meio da viagem de volta.

Acabei de ter uma grande conclusão após ler este e outros sonhos: o meu subconsciente tem uma imaginação mais fértil do que a minha imaginação quando eu estou acordado. Eu nunca que iria imaginar um negócio desses, com viagem ao nordeste, homem com capa preta chamado Batman, fiel companheiro anão… Foi por esse motivo que eu criei este blog, porque os meus sonhos são inimagináveis.

Até a semana que vem com outro sonho bizarro daqueles!


Futebol no Afeganistão

6 de março de 2004

Olá, gente! Hoje está chovendo à beça, choveu tanto que apareceu uma goteira no meu quarto e, por precaução, tiveram que tirar o meu computador do meu quarto e colocar no quarto da mamãe.

Lembrei o sonho curtinho que eu disse que tinha esquecido semana passada. Faz já bastante tempo que eu sonhei com esse sonho, foi na época que eu ainda fazia curso de técnicas administrativas no CEBRAC, no final de 2001. Sonhei que a mamãe disse que eu ia fazer uma viagem para Curitiba na sexta-feira à tarde e iria voltar no sábado. Para isso, eu teria que faltar no CEBRAC. Eu obedeci à mamãe, já que não tinha outro jeito. Só que eu não ia para Curitiba de ônibus, como eu vou sempre, e sim numa vã, tipo essas peruas de lotação. Inclusive, a vã estava sem a porta de entrada. Apesar de não ser católico e de na época não saber o que era um terço, eu peguei um terço e comecei a rezá-lo. O sonho terminou no meio da viagem.

Antes que eu me esqueça: já está no ar o meu novo blog, o blog sobre os demais assuntos em geral. Para acessar, o endereço é allantaborda.blig.com.br ! O blog está junto com os bligs amigos à esquerda. E, atendendo a um pedido de uma ilustre internauta, a Clubber, eu publicarei os dois gifs animados que ela fez. Para ver os gifs, é só acessar o meu outro blog.

Já faz tempo que a guerra do Afeganistão acabou, mas há alguns dias atrás, eu sonhei que eu estava no Afeganistão dentro do estádio de futebol (aquele estádio onde o Taleban executava os “infiéis”). Nesse estádio, estavam jogando dois times de futebol locais. O estranho é que o juiz estava vestido com roupas militares e segurava uma metralhadora. No estádio, tinha várias propagandas em árabe. Uma que me chamou a atenção foi a propaganda do Carrefour. Tinha o logotipo do Carrefour e alguma coisa escrito em árabe. Pensei comigo mesmo: “Será que existe Carrefour aqui no Afeganistão?” Não sei quanto que terminou o jogo, porque o sonho acabou antes do jogo terminar.

Semana que vem eu atualizo novamente este blog. Isto é, se Deus quiser, porque às vezes o Blig fica em manutenção. Um beijo para as gatinhas, especialmente para a Clubber e um abraço a todos! Fui!