Tirando o atraso e pegando nos peitos

18 de janeiro de 2004

Olá, pessoal! Hoje, eu irei contar outro sonho que eu tive enquanto eu estava em Curitiba! Sonhei que eu estava na escola, era final de ano e era o último dia de aula. A escola, como sempre, era diferente da escola da vida real. Estavam fazendo uma festinha de confraternização, tinha muita gente, na sua maioria mulheres e tinha uma espécie de “espírito” do meu lado que conversava comigo durante a festinha. Tinha muita gente, mas muita gente mesmo na escola, as classes e as escadas estavam lotadas de gente, na sua maioria alunos. Eu estava morrendo de vontade de pegar nos peitos de alguma garota, alguma coisa me fazia ficar com vontade de pegar nos peitos de alguém e o espírito (era o espírito de uma mulher chamada Letícia) falava para mim: “Cuidado, pegar nos peitos de uma garota pode não ser uma boa idéia, a garota pode ficar com raiva de você!” Várias garotas apareceram na minha frente, principalmente garotas de seios fartos, aumentando ainda mais a vontade de pegar nos seios de alguma. Eu pensava comigo mesmo: “Por que não pegar nos peitos de alguma garota qualquer? É último dia de aula mesmo, a garota na qual eu vou pegar nos peitos nunca mais vai me ver e eu quero fechar o ano com chave de ouro, já que eu nunca peguei nas tetas de nenhuma mulher até hoje!” Mas o espírito do meu lado falava: “Não pode, a garota que você vai pegar nos peitos vai se sentir mal com alguém metendo a mão nas tetas dela!” Aí o tempo passou, várias garotas lindíssimas e com seios fartos passavam por mim e eu lá, morrendo de vontade de cravar a mão na peitaria de alguma. No finalzinho da festa, eu não resisti e peguei nos peitos de uma garota bonitinha, meio tímida e que usava uma roupa vermelha. O espírito desaprovou o meu ato. Então o sonho acabou aí. Até hoje, eu nunca peguei nos peitos de nenhuma mulher, mas quem sabe no futuro, quando eu me casar…

Tchau, pessoal, até a próxima atualização deste site!


Trecho da carta que eu escrevi para a Mara

12 de janeiro de 2004

Alô, gente que acessa o meu blog! Hoje é dia de mais uma blogada! Hoje eu farei um pouco diferente, ao invés de relatar um sonho que eu tive, irei transcrever aqui neste blog um trecho de uma carta que eu mandei à minha amiga Mara no dia 15/09/2002, um trecho que fala de uns sonhos que eu tive sobre alguns candidatos da eleição daquele ano. Eis aqui o trecho da carta:

“Este ano é ano de eleição e eu irei votar pela primeira vez. Ainda não escolhi todos os meus candidatos. Por isso, assisto ao horário eleitoral gratuito. […] Mas eu acho que eu estou assistindo propaganda política demais. Estou até sonhando com alguns candidatos! Teve um dia que eu sonhei que o Quércia era o meu antigo professor de ciências da terceira série e que ele era meio carrancudo e mal-humorado. No dia seguinte, sonhei que eu estava dormindo e o Celso Pitta estava tentando me acordar. Ele não conseguiu e depois apareceu o Robson Malek, do PRONA, para tentar me acordar. Também não conseguiu. Aí eu acordei, senão iria aparecer o Geraldo Alckmin para tentar me acordar, e eu não quero nem saber do Geraldo Alckmin! E no outro dia, sonhei que o Rui Costa Pimenta, candidato à presidência pelo PCO, estava falando não sei o quê. Cada sonho esquisito que eu tenho, vou te contar uma coisa! Será que é um sinal de que eu tenho que votar nestes candidatos? Eu acho que não! Votar no Celso Pitta? Eu, hein! Não sou masoquista!”

Nossa, eu tava vendo propaganda eleitoral demais! Teve um outro sonho que eu não relatei na carta que eu escrevi para a Mara e que eu sonhei com político naquela mesma época de eleição. Sonhei que o Quércia estava numa mesa junto com a Mara e os dois conversavam. Tinha outras pessoas na mesa, acho que era o pessoal da campanha do Quércia. Também tinha algumas câmeras filmando o encontro dos dois. Outro sonho esquisito! A Mara com o Quércia! A respeito dos sonhos que eu relatei na carta, o outro sonho que eu tive com o Quércia, que ele era o meu antigo professor de ciências da terceira série e era carrancudo e mal-humorado, eu nem lembrava mais desse sonho, só agora que eu li o rascunho da carta que eu mandei para a Mara que eu relembrei esse sonho! Era um sonho que se passou na minha escola, que incrivelmente era igual à da vida real (quase sempre é diferente). Os alunos (um monte de crianças) ficavam na fila e o Quércia, mal-humorado e rabugento, andava resmungando com as mãos fechadas. Eu já estava no 2º Colegial e estava observando ele no pátio e relembrando a época que ele havia me dado aula (dado aula no sonho, na vida real ele nunca me deu aula, quem me deu aula na terceira série foi o professor Sílvio, que também era meio chato, pelo menos ele não era carrancudo). O outro sonho, o que o Celso Pitta e o Robson Malek tentavam me acordar, esse foi um pouco mais esquisito. Eu estava na cama meio dormindo e meio acordado e os políticos tentavam me acordar com a música da campanha eleitoral no fundo (no caso do Malek, era a 5ª Sinfonia de Bethoven). Eu não tenho certeza, mas acho que depois do Malek ainda tinha o Enéas, também do PRONA, tentando me acordar. Mas eu não tenho muita certeza e por isso não escrevi isso na carta. O último sonho, que foi o do Rui Costa Pimenta falando não sei o quê, foi meio vago, o único detalhe que eu lembro desse sonho foi esse. Parece que ele estava fazendo campanha pela candidatura dele mesmo. É uma pena que eu não tenha sonhado com o Lula. Seria tão legal se eu tivesse sonhado com o Lula! Eu votei nele na última eleição.

Ainda bem que eu guardei o rascunho da carta que eu mandei à Mara, senão eu não teria o que escrever neste blog. Aí eu teria que relembrar um dos muitos dos antigos sonhos que eu tive. Semana que vem tem mais, não sei se será um sonho novo ou velho, mas na semana que vem tem outro sonho para contar a vocês internautas. Tchauzinho!


Vírus W95.CIH

11 de janeiro de 2004

Olá, internautas! Feliz Ano Novo! Mais um ano que começa e mais uma vez estou aqui blogando, agora de volta da minha viagem a Curitiba. Hoje vou contar um pequeno sonho que eu tive em Curitiba, durante a minha viagem.

Sabe-se que o vírus W95.CIH, também conhecido como Chernobyl, foi criado por um hacker taiwanês chamado Chen Ing-hau e descoberto pela Symantec (fabricante do Norton AntiVirus) no dia 28/06/1998. Esse vírus é um dos piores vírus de computador do mundo, destruindo os arquivos do HD e até a BIOS do computador. E não pode ser removido de jeito nenhum pelos softwares antivírus, somente se baixar a ferramenta de remoção de vírus chamada KILL_CIH (W95.CIH Removal Tool) do site da Symantec para eliminá-lo da memória RAM e eliminá-lo normalmente com um antivírus. Pois é, eu sonhei que esse vírus, que é um vírus de computador, contaminou minha amiga Mara. Na vida real, nenhum vírus de computador ataca pessoas, mas no sonho, a Mara havia sido contaminada por esse vírus. O vírus atacava o sangue, destruía as células sangüíneas, deixava a pele meio avermelhada, chegava ao cérebro e matava a pessoa. Eu estava numa escola cujas paredes eram pardas, algumas pessoas circulavam pelos corredores do colégio e um surto do vírus W95.CIH atacava alguns alunos. De repente, vi a Mara com a pele meio avermelhada perto da porta de uma sala desconhecida. Ela me disse que tinha contraído o W95.CIH, que precisava fazer o tratamento de remoção do vírus no sangue dentro daquela sala desconhecida e que eu precisava fazer um exame de sangue para saber se eu estava contaminado com esse vírus, uma vez que ele é altamente contagioso. Aí ela entrou na sala e começou a fazer o tratamento, acompanhada de uma outra menina e de um professor no qual a Mara gostava muito (que só existiu neste sonho). Fiquei esperando na porta da sala durante 12 horas, até que a Mara se recuperou e estava livre da praga cibernética. Durante todo o tempo em que eu esperava a Mara se recuperar, eu pensava comigo mesmo: “Será que eu preciso mesmo fazer o exame de sangue?” É que eu tenho medo de agulha. Após a Mara se recuperar do vírus, fiquei muito feliz por ver minha irmãzinha saudável novamente. Mas depois de algumas horas andando pelos corredores do colégio, percebi que a Mara havia pegado o W95.CIH novamente. Então, suspeitei que eu havia pego o vírus da Mara e que agora eu havia retransmitido o vírus para ela. Eu também estava com a pele meio avermelhada. Ao ver ela entrando novamente na sala de recuperação, prometi a ela que iria fazer o exame de sangue que ela me pediu e eu ainda não havia feito. Ela entrou na sala de recuperação e o sonho acabou aí. Graças a Deus esse vírus só ataca computadores. Mesmo assim, né, maldito Chen Ing-hau que inventou esse vírus! O cara não tinha nada o que fazer ao invés de ficar fazendo vírus para acabar com a BIOS dos outros?

A respeito da Mara, agora ela não trabalha mais no Peg-Pão, ela está trabalhando agora como caixa do Supermercado Cuca do Jardim Quietude, perto da casa dela. Ela está mais feliz agora, está ganhando mais do que ganhava antes. E sem W95.CIH para encher o saco!

Na próxima blogada eu contarei mais um sonho que eu tive em Curitiba! Até semana que vem!