Sonho de Páscoa!

16 de abril de 2006

Olá, internautas! Hoje é o domingo de Páscoa! E hoje eu vou contar um sonho que tem a ver com esta data, um sonho sonhado nesta última sexta-feira, dia 14/04/2006! Sonhei que eu trabalhava num escritório onde havia um chefe bastante bem-humorado que era meio palhaço, e ele fazia algumas palhaçadas para descontrair o pessoal do escritório. O escritório era um espaço pequeno, tinha uns seis computadores, uma lousa na parede lateral (não lembro se era mesmo uma lousa ou algum outro negócio pregado na parece, como algum cartaz) e uma janela na outra parede. Cada funcionário estava a frente de um computador e o chefe ficava de pé animando o pessoal, falando coisas engraçadas e fazendo o pessoal rir à vontade. Eu ficava sentado em frente ao computador da esquerda, do lado oposto ao da janela, e eu ria de algumas coisas que o chefe falava, não todas as coisas, mas algumas. Não me lembro o que eu fazia em frente ao PC (no que eu trabalhava), só sei que eu trabalhava como os outros funcionários, fazendo a mesma tarefa que eles. Não me lembro o que estava escrito na tela do PC (se eu soubesse, eu poderia deduzir o que eu estava fazendo). Mais pelo fim do sonho, eu pronunciei involuntariamente a palavra “chato” e o chefe veio até a mim para perguntar se ele estava sendo chato ou se o ambiente de trabalho estava chato, e disse que, se estivesse chato, ele pararia de fazer suas palhaçadas. Eu respondi que não, que tava legal e que ele não estava sendo chato. Numa outra parte do sonho, o chefe me deu um ovo de Páscoa enorme, desses de um quilo. Era um ovo de Páscoa embrulhado num papel celofane amarelo e dava para ver que o ovo não estava envolto em papel alumínio, como geralmente são embrulhados os ovos de Páscoa. E o ovo era daqueles feitos com amendoins, avelãs ou alguma outra coisa misturada ao chocolate, não era um ovo de chocolate ao leite convencional. Ou seja, era um ovo bem incrementado. E assim foi o sonho de Páscoa!

Como este ano eu estou postando poucas vezes aqui neste blog, irei contar outro sonho hoje. Ainda esta semana, sonhei que eu havia viajado para a Argentina para fazer não sei o quê por lá. Eu fui de São Paulo (não sei se eu estava em Praia Grande ou na capital ou em outra cidade do estado) até a divisa entre o Brasil e a Argentina e entrei normalmente na Argentina sem ninguém me pedir nenhum documento e sem dar nenhuma satisfação a ninguém. Entrei na Argentina e andei pelas ruas da cidade, olhando as casas coloridas e as pessoas falando espanhol. Não fiquei muito tempo andando na rua. Numa outra parte do sonho, eu e mais um casal nos hospedamos numa hospedaria bem mixuruca, que se resumia a um único quarto. Tinha uma mesa de sinuca do lado de fora e um letreiro com algo escrito em cima. E em outra parte do sonho (esse sonho foi dividido em partes, não numa seqüência lógica), eu viajava para a Argentina, acho que era a segunda viagem a aquele país, mas dessa vez, para o interior da Argentina, mais para o sul. Lembro-me das paisagens durante a viagem, que, assim como a anterior, foi feita de carro, um carro vermelho. Demorou umas cinco horas de viagem, mas não cheguei a chegar ao destino planejado, pois o sonho acabou aí.

Próxima blogada tem mais! Só não sei quando será a próxima blogada!

Anúncios

Três sonhos para atualizar esta joça!

1 de abril de 2006

Olá, pessoal! Hoje estarei postando mais uma vez neste meu blog, que neste ano está tendo atualizações bem menos freqüentes devido à minha falta de tempo.

O primeiro sonho de hoje eu o tive no dia 29/03/2006. Sonhei que minha caixa de e-mails enchia-se de vírus, spams e outras porcarias com extrema facilidade, como se minha conta tivesse sido invadida por algum hacker. No sonho, eu visitava a casa de de não sei quem (acho que era a casa da Mara, que era uma casa meio que de madeira e um tanto quanto esquisita) e de lá eu acessava meus e-mails. E toda a hora que eu acessava, enviava um e-mail ou fazia qualquer coisa na minha caixa de e-mails do IG, um e-mail com vírus daqueles (um spam) era baixado para o computador, além de ser reenviado para outras pessoas. Isto aconteceu não só na casa da Mara, mas também na casa de outras pessoas que eu visitei durante o sonho (eu sempre precisava usar meu notebook para acessar meus e-mails ou para fazer alguma outra coisa). Na vida real, eu não tenho notebook. E as casas das pessoas que eu visitava eram sempre casas um tanto quanto esquisitas, eram meio que rústicas, com tijolos aparecendo e meio que precárias. E o tempo estava sempre nublado. E o sonho foi basicamente isto (já perdi a conta de quantas vezes eu encerrei um sonho com esta frase).

Em Janeiro do ano que vem, independente de quantas vezes eu tiver postado este ano, eu irei lançar a terceira edição do e-book dos Sonhos do Allan, que agora será atualizado todo o início de ano. E a partir dessa próxima edição, o e-book terá índice e será dividido por capítulos, e cada capítulo será referente a uma época diferente, ou por semestre ou por ano. E estará disponível não apenas em PDF, mas também no formato do OpenOffice.org 2.0 e em HTML.

O segundo sonho de hoje foi sonhado na mesma semana do sonho que acabou de ser contado, só não me lembro o dia exato no qual foi sonhado. Sonhei que eu e minha família morávamos numa outra casa (uma casa até que não muito diferente das que eu estou acostumado a ver por aqui em Praia Grande) e que, nesta casa, o quintal foi alugado e transformado em fórum municipal, onde eram realizados julgamentos civis e criminais, na sua maioria civis. Os julgamentos aconteciam de noite (o sonho inteiro se passou de noite) e eu assistia aos julgamentos sentado em uma das cadeiras de plástico. O fórum improvisado funcionava em condições precárias e seu teto era uma lona preta. E neste sonho havia também um carro amarelo que era tipo um taxi do Rio de Janeiro, mas eu não lembro muito dessa parte do sonho. E o sonho foi basicamente isto!!!

E para encerrar este post, vou contar o terceiro sonho de hoje, que foi sonhado já há alguns anos, acho que foi lá pelo ano 2000 ou perto disso. Sonhei que eu estava sentado em algum lugar e que eu estava de cueca. E havia outras pessoas neste sonho, pessoas que me observavam. Daí, eu saquei o meu pinto para fora, mas acabei machucando-o bem na cabeça do bicho. A partir daí, comecei a sangrar para valer. O meu bilau não parava de sangrar e uma poça de sangue se formava embaixo de mim. Tive que me levantar algumas vezes para sair debaixo da enorme poça vermelha. E eu não sentia dor nenhuma! Além disso, ninguém vinha me socorrer, fiquei sangrando até o sonho acabar. Bem besta este sonho!

E até a próxima vez que eu postar aqui! E a Cibele e a Mara são lindas! A Mara por ser minha irmã que eu tanto amo e a Cibele por ser tão fofa!