Vazou uma foto íntima minha na Internet

18 de julho de 2013

Hoje eu relatarei um sonho que eu tive na última segunda-feira. Sonhei que vazou na Internet uma foto minha onde apareço numa pose, digamos, sensual, e tal foto virou um meme na grande rede.

Eu morava numa casa onde havia um quarto em que eu ficava e nesse quarto eu fazia umas coisas secretas que eu não contava para ninguém e ficava escondendo, inclusive fotos íntimas. Esse quarto podia ser trancado, mas parece que, mesmo trancado, por uma falha na fechadura, a porta do quarto podia ser aberta.

Apesar disso, não foi a fechadura defeituosa que fez ocorrer o vazamento da minha foto. Eu mesmo acabei por facilitar o vazamento da mesma, deixando a unidade de armazenamento da mesma (um disquete ou algo assim) em um local público, próximo à entrada do meu quarto. E o pior é que eu deixei lá não por acidente, mas intencionalmente, pois eu meio que já estava de saco cheio de esconder aquilo durante o sonho todo, o que me incomodava.

Então, a foto acabou vindo a público e se espalhou na Internet rapidamente, virando um meme nas redes sociais e sites diversos e ganhando inúmeras paródias (algumas de outras pessoas reproduzindo a mesma pose da foto) e montagens ridículas com a mesma. Apesar disso, diferente do que ocorreria na vida real se uma foto íntima minha vazasse, eu nem achei ruim o ocorrido, na verdade eu até gostei de ter meio que tirado um peso de dentro de mim e até pensei em talvez expor mais alguma outra foto, já que não havia mais nada meu a esconder.

Apesar de a foto vazada ser considerada uma foto íntima no sonho, creio que, se uma foto minha igual à que vazou vazasse na vida real, na grande rede, nada de mais aconteceria, já que a mesma é uma foto onde nada de mais aparece. A foto consiste numa pose minha sorrindo, sem camisa e com as mãos sobre os mamilos, numa pose meio que engraçada. Talvez por ser engraçada é que ela virou meme no sonho, apesar de que, de qualquer forma, mesmo na vida real eu tenho vergonha de ficar sem camisa em público.

E aqui acaba o relato deste sonho!

Anúncios

A música do diabo

7 de janeiro de 2012

No primeiro post do ano de 2012, irei relatar um sonho que tive no dia 10/12/2011, um sonho, digamos, diabólico. Sonhei que quem cantava a música Don’t You Forget About Me, da banda Simple Minds, era, na verdade, o diabo, e que o videoclipe dessa música enlouquecia as pessoas que assistiam o mesmo.

Vou iniciando o relato da primeira parte que eu me lembro, antes dessa parte, eu não me lembro de nada do sonho. Estavam eu, minha mãe e meu irmão num supermercado quando, ao avistar um pão que estava na prateleira e que tinha aparecido num comercial, meu irmão pediu para que o mesmo fosse comprado. O pão era um produto licenciado de algum desenho animado infantil, com seus personagens aparecendo tanto no rótulo quanto no comercial do produto. Depois do meu irmão encher o saco para que comprássemos o pão, compramos o mesmo. Chegando em casa, vimos que o pão era minúsculo e, ao comermos o mesmo, vimos que o pão estava cheio de espinhas. Acho que o pão devia ser feito de peixe. No sonho, assim como na vida real, meu irmão já era adulto, com 33 anos de idade.

Posteriormente, fui sozinho para um bar onde havia um telão. Não sei se cheguei a beber alguma coisa (na vida real, eu não bebo). Em um dado momento, começou a ser exibido no telão um videoclipe e logo em seguida fui avisado por um cara do bar que aquele videoclipe, caso assistido por completo, fazia a pessoa que estivesse assistindo enlouquecer. Fui avisado também que quem cantava aquela música era o diabo e que aquela era a música do diabo. A música, como eu já adiantei no início do post, era a Don’t You Forget About Me, da banda Simple Minds.

Para não enlouquecer, eu assisti o videoclipe olhando o mesmo de relance, não diretamente, e virando o rosto para o lado de vez em quando, para não vê-lo por inteiro. O videoclipe consistia basicamente no diabo cantando num microfone preso a um suporte e segurando uma guitarra ao lado de uma linda mulher de cabelos pretos e seios fartos (ora ela aparecia à esquerda do amornado, ora só o mesmo aparecia cantando, sem a mulher), com uma animação verde ao fundo que era tipo uma proteção de tela do Windows, cujo efeito saía de dentro para fora, como se aquilo tentasse hipnotizar que assistia ao clipe. A cena do diabo cantando era alternada com outras, como as cenas onde a mulher aparecia fazendo uma dança diabólica e se despia, além de outras. No começo do videoclipe, a moça estava de vestido vermelho, posteriormente, numa das cenas intercaladas, ela estava com um roupa meio transparente, na qual dava para ver os seios, e na última cena que eu me lembro, a moça estava nua, debaixo do chuveiro e abaixada, com o rosto voltado para baixo e completamente imóvel. Em um determinado momento do clipe, um pouco depois do no início do mesmo, creio eu, cheguei a pensar comigo mesmo algo como: “posteriormente, irei assistir a esse videoclipe inteiro, com calma”, acreditando que o mesmo não me enlouquecesse caso eu o assistisse no meu PC.

Depois de terminada a exibição do videoclipe satânico, saí do bar e fui para a rua, na qual estava deserta, não havia nenhuma pessoa na rua, com exceção de mim. Andei durante alguns minutos até parar para descansar num banco próximo à entrada de um estabelecimento comercial. Em cima do banco onde eu sentei, havia algo que não me lembro o que era, acho que era um papel com algo escrito. Após sentar-me no banco, tirei do bolso minha carteira (embora eu não use uma carteira na vida real, muito menos uma que seja semelhante à do sonho) e nela, havia várias coisas dentro, inclusive o CD do diabo, que incluía a música Don’t You Forget About Me. Resolvi dar uma olhada no encarte daquele CD e vi, dentre outras ilustrações feitas por algum cartunista, uma na qual havia uma espécie de etiqueta cobrindo o desenho, que dizia que aquela cena foi censurada porque era de muito mal gosto, ou algo assim, e que para ver a cena, se assim desejasse, o proprietário do CD tinha que remover a etiqueta. Na etiqueta, informava também que o desenho censurado era de uma das cenas do videoclipe (na qual não eu vi, pois eu devia estar olhando para o lado) na qual o diabo botava fogo em um gato. Depois dessa parte, acordei.

Até o próximo post, com outro sonho, provavelmente não-satânico como este!


Três sonhos gays

27 de novembro de 2011

Hoje eu irei contar três sonhos homossexuais que eu tive. Mais três vezes que meu subconsciente me prega uma peça, já que sou heterossexual.

O primeiro sonho eu tive em 2008 ou 2009, não me lembro o ano exato. Me lembro muito pouco desse sonho. Eu estava numa casa velha, acho que no sótão da mesma. Havia um buraco numa das paredes que davam para a rua e a parede aparentava ser de madeira, pelas ferpas das bordas do buraco da mesma. Acho que nevava do lado de fora. Junto comigo, estava o ator Murilo Benício. E eu alisava o pênis do Murilo Benício. E o pior é que o pau do cara estava gozado, todo lambrecado com esperma. Ai, que sonho nojento que eu tive!

O segundo sonho homossexual eu tive esse ano, há alguns meses atrás. Só lembro de um pedaço do mesmo, no qual eu fui a uma estação de trens de carga (ou algo do tipo) trajando uma camisa do Corinthians. Na vida real, atualmente eu não torço para nenhum time, pois não tenho ligado muito para futebol ultimamente (exceto jogos da seleção brasileira) pois para mim perdeu a graça, mas até meados de 2007 eu torcia para o São Paulo Futebol Clube.

Antes de ir à estação, fui advertido por alguém (acho que uma mulher) de que, caso eu fosse à estação trajando alguma camisa de algum time, alguém que torce para o time rival do time da camisa que eu estava usando poderia pichar a mesma.

Aí eu fiquei lá na estação e não aconteceu nada. Posteriormente, voltei à mesma estação, desta vez trajando uma camisa do Palmeiras. Assim que eu cheguei, apareceu um sujeito trajando uma camisa do Corinthians que começou a pichar a camisa do Palmeiras que eu estava usando, usando um giz branco ou algo do tipo. Então, eu beijei a boca do corintiano, dei um selinho nele, e o mesmo parou de pichar a minha camisa. Por que eu fiz isso eu não sei, ainda que eu tenha beijado o cara de livre e espontânea vontade.

Esses dois sonhos não são tão homossexuais se comparados ao terceiro sonho, sonhado no dia 04/11/2011. Sonhei que eu transei com o Fernando Alonso, o piloto de Formula 1. Eu era o ativo da relação (pelo meno isso) e o Fernando Alonso usava roupas azuis (e eu acho que não usava nada). E até que ele estava gostando (acho que o homossexual do sonho era ele).

Essa parte homossexual foi apenas uma parte do sonho, vou contar o mesmo desde o início, ou melhor, o que eu me lembro dele. E na verdade, esse não é um sonho homossexual, e sim bissexual, já que transei com uma mulher também.

No início da parte que eu me lembro do sonho, eu queria muito transar com uma mulher muito bonita e gorda. Eu tentava chegar nela e a mesma se afastava de mim. O sonho inteiro (inclusive a parte homossexual) se passou numa casa, que tinha uns quadros na parede e tinha dois andares, era uma casa grande. Aí depois dessa parte, ocorreu a que eu comi o cu do Fernando Alonso. Depois disso, ouvi falar que, para conseguir transar com aquela mulher gorda, tinha que ir nela direto, sem pedir permissão ou xavecar ela. Aí eu fui. E transei com ela. Durante quase toda a transa (que eu não concluí, pois acordei do sonho antes), ela estava de costas para mim, o que sugere que fizemos sexo anal. Foi muito bom, principalmente quando eu tirei o pano que cobria os seios da moça e cheirei, senti um perfume muito gostoso, e também quando deslizei as mãos pelo seu corpo adiposo. A última coisa que eu me lembro é dela ter se virado para a direita, quando pude ver mais uma vez seus seios. O sonho terminou em seguida. Apesar da transa ter sido interrompida pelo fim do sonho, fiquei mais tempo trepando com ela do que com o Fernando Alonso.

O post gay de hoje termina aqui! Tchauzinho!


Sonhos sonhados nesses últimos tempos

19 de abril de 2009

Hoje, irei contar alguns sonhos que eu tive há tempos atrás (cinco, no total). Quase todos foram sonhados no ano passado, em 2008, durante o tempo de inatividade das minhas postagens neste blog.

Uma vez, no ano retrasado (eu acho), sonhei logo no início do sono com um bebê numa cadeirinha daquelas onde se dá papinha, então a cabeça do bebê aumentou de tamanho rapidamente e estourou como uma bexiga, e acabei tendo um ataque de riso que me fez acordar do sonho. O sonho foi bastante rápido e parece que eu o sonhei quando eu estava começando a pegar no sono.

No dia 21 de Janeiro de 2008, eu sonhei que a greve dos roteiristas era uma maldição divina ao mundo do cinema causada pelos cachês altíssimos dos atores dos filmes e também dos ganhos absurdos dos profissionais do cinema (cachês e salários milionários) e pela não ajuda destes aos mais necessitados. O sonho terminou com uma musiquinha sinistra. Na época que eu tive esse sonho, era a época da tal greve dos roteiristas, que atrapalhou a exibição de algumas séries na TV paga.

Três dias antes desse sonho, no dia 18, eu sonhei que tava dando na MTV o desenho animado do Renan Calheiros e este, bem como os demais personagens do desenho, inclusive a Mônica Veloso, eram ursos, tais como os do desenho Talespin (antigo desenho animado que eu assistia quando criança). No desenho, o Renan estava sendo julgado por aqueles escândalos que ocorreram na vida real envolvendo-o. E este desenho passava em várias MTVs, cada uma passando uma parte daquele mesmo episódio. Não havia outros canais na TV sem ser essas MTVs, que eram centenas. E eu pensava que o canal que estava passando era a Globo e não a MTV, acho que depois que eu me toquei que era a MTV.

No dia 31 de Março de 2008, sonhei um sonho que teve algumas partes distintas, e na principal delas, eu estava tendo aula com um professor que cortava o cérebro de uma mulher como se fosse um repolho, na pia, com a torneira aberta. E não havia nenhum sangue no crânio da moça. E falavam que o crânio da mulher era sobrenatural e não sei mais o quê. Num determinado momento, o professor saiu e eu peguei a faca e continuei eu mesmo a cortar aquele cérebro, sem nenhum nojo ou constrangimento.

Numa outra parte deste sonho, eu vendi os DVDs do Debian 4.0 para uma filial do Boticário e fiquei com medo de que o cara descobrisse algo ou desconfiasse algo de mim (não me lembro exatamente do que eu tinha medo). Na vida real, eu sou vendedor oficial do Debian GNU/Linux, que está em sua versão 5.0.

Também teve uma parte onde eu andava na rua e via, do outro lado desta, um portal (ou algo do tipo) que dava para ver a cidade de Curitiba um pouco diferente, com mar. Eu acho que cheguei a atravessar o portal e ir à essa Curitiba diferente.

E teve uma outra parte onde a Avril Lavigne estava dormindo no quarto da minha avó e, quando eu a vi, disse em inglês misturado com português que era para eu tomar café da manhã na cozinha. A Avril devia estar fazendo uma visita à minha casa.

No dia 24 de Novembro de 2008, sonhei um sonho de três partes (não me lembro se teve outras além das três que vou contar agora). A primeira parte foi uma parte erótica na qual eu participei de uma suruba com algumas ex-colegas de escola da época do terceiro colegial, e em cima de umas mesas azuis grandonas, que ficavam em um recinto enorme e fechado, tipo um galpão. Só havia eu de homem e o resto eram garotas, tinha uma mais tímida, que participou pouco da suruba, outras eram mais assanhadas, com uma delas sendo a que eu mais me “envolvi”, dando várias “investidas” principalmente nos seios da mesma. Especificamente nesta parte do sonho, eu e todas as garotas tínhamos a idade que a gente tinha na época do terceiro colegial, 17 anos. Não irei citar nomes das participantes dessa parte do sonho para não constranger ninguém.

Nesse mesmo sonho, já com a mesma idade da época que tive o sonho, ganhei um PC com o Windows 7 original, mas ele permaneceu na caixa durante o sonho inteiro. Parece que o PC e o Windows 7 original eram necessários para realizar uma determinada tarefa. Lembrando que o Windows 7 só será lançado provavelmente no fim deste ano.

E também, no mesmo sonho, montei uma conexão com uma espécie de rádio que tocava uma determinada música que eu não sei qual era, mas era uma música que eu gostava muito no sonho, só tocava essa música na rádio, e a antena que eu montei para fazer a conexão com essa rádio consistia em um violão partido ao meio.

Por hoje é só! Até o próximo post deste meu blog!


A clínica das araras vermelhas

23 de março de 2007

Olá, internautas! Faz dois meses que eu não posto aqui porque, como vocês já devem deduzir, estou bastante ocupado com os afazeres da faculdade, principalmente com o meu trabalho de conclusão de curso. Devido a eu estar ocupado, não foi possível também eu terminar o e-book dos Sonhos do Allan e nem o sistema visualizador dos Sonhos do Allan, ambos estarão previstos de serem lançados em julho desse ano.

Hoje eu irei contar um sonho que eu tive hoje. Lembram da moça que, no sonho postado há dois posts atrás, correu em cima de um fogão? Pois é, a Zoê Vialet apareceu novamente em um sonho meu (deve ser porque eu a vejo todos os dias no meu desktop, pois ela é a modelo do papel de parede do meu PC), desta vez dentro de um lugar misterioso, onde ela, que estava sem poder andar porque havia sofrido um acidente, milagrosamente voltou a andar, graças a um tratamento um tanto quanto estranho, à base de araras vermelhas que voavam de um lado a outro, encostando nas pessoas, e umas máquinas estranhas que pareciam pequenos contêineres, que não sei o que faziam, mas faziam barulho. O sonho começou comigo vendo um vídeo da modelo holandesa neste lugar misterioso. O vídeo alternava cenas dela tentando andar e dela sendo fotografada nua. Ou seja, mesmo em tratamento a Zoë não deixava de trabalhar! Nas cenas em que Zoë Vialet tentava andar, ela parecia mais aquelas crianças da AACD nas campanhas do TeleTon, andava toda torta e com extrema dificuldade, mas a cada cena que mostrava ela andando, a modelo andava cada vez mais direito, até que no final do vídeo, Zoë andou normalmente. E ela, nessas cenas, estava vestida. Já nas cenas onde ela era fotografada nua, ela estava nua. Como se além dela ter problema nas pernas ela fosse tetraplégica (mas não era), alguém a colocava nas poses sensuais para o fotógrafo bater as fotos, eu acho que eram os próprios enfermeiros que botavam a mulher nas poses, muito semelhantes às poses das fotos do site oficial da Zoë Vialet na vida real. Após acabar o vídeo, fiquei pensando: “Nossa, ela sofreu um acidente e ficou nesse estado! Coitada dela!” Acho, embora nenhuma parte do sonho diga isso, que o acidente sofrido por Zoë Vialet foi um acidente de carro. Então, adivinha o que aconteceu? Fui parar no tal lugar misterioso onde ela se recuperou! Não sei se eu consegui voltar no tempo ou se as pernas da modelo ainda tinham problemas quando eu cheguei lá, pois ela ainda estava por lá, se tratando. E de que jeito eu entrei no lugar onde a Zoë estava se tratando? Por um túnel, cuja entrada ficava aonde? Na novela Pé na Jaca! Tinha até a Juliana Paes no meio da multidão! Se bem que o cenário tava meio diferente, e a Juliana Paes foi a única que eu reconheci na multidão. Parece que a minha entrada e a multidão diante do túnel de entrada da clínica (devia ser uma clínica aquele lugar) estavam sendo gravados e exibidos em um vídeo, eu mesmo dei, não sei de que jeito, uma olhada no vídeo e vi que a definição da imagem estava deplorável, tava tudo quadriculado, e nem dava para ver que a Juliana Paes era ela mesma. Passada essa parte, eu consegui adentrar o túnel de entrada, que deu para o interior da clínica, um lugar metálico (as paredes e quase tudo o que havia por lá era de metal e cinzento) e ruidoso (o barulho ocorria devido às máquinas que pareciam pequenos contêineres, o barulho lembrava uma série de ares condicionados ligados, embora não fosse bem isso). Embora eu tenha entrado lá andando, eu fui lá para tratar de problemas nas minhas duas pernas, mais precisamente nos joelhos, que doíam bastante. Na vida real, cheguei a ter umas dores nos joelhos, acredito que por excesso de treinos na academia, mas tais dores já passaram, além de não serem tão fortes assim. De vez em quando, algumas araras voavam e encostavam em mim e nas outras pacientes, eram elas que faziam a cura das pacientes, além dos tais contêineres esquisitos. Acho que tais araras chegaram até a aparecer no vídeo da Zoë Vialet no início do sonho. Com exceção de mim, as pacientes da clínica eram todas mulheres, e todo mundo ficava alojado tudo amontoado num canto, uns colchonetes com umas camas onde eu e a mulherada ficávamos, e a minha cama ficava quase do lado da cama onde a modelo holandesa ficava, e eu até tentei falar com ela, porém ela só falava holandês, diferente do sonho onde ela andava em cima do fogão, onde ela falava português meio enrolado, mas ainda assim tentei me comunicar com ela, timidamente. Acho que a Zoë até entendeu alguma coisa que eu falei, pela cara dela. E eu até ajoelhei na frente dela, pois não conseguia ficar em pé, embora o meu problema fosse nos joelhos. Não tenho certeza, mas algumas outras pacientes também eram holandesas ou de outro país, mas havia algumas outras que falavam português do Brasil. O tratamento se resumia ao pessoal ficar alojado e as araras ficarem encostando nas pacientes, além daquelas máquinas trabalhando e fazendo barulho. Enquanto eu estava me tratando, Zoë Vialet não ficou nenhuma vez pelada para tirar fotos, e o número de enfermeiros diminuiu. E a enfermeira chefe era, nada mais, nada menos, do que a Vanda, a minha terapeuta holística que me passa uns florais para eu tomar cinco vezes por dia, além de me atender nas consultas (e hoje era dia de consulta). O que a equipe de enfermeiros fazia? Sei lá! Acho que eles ficavam vendo como andava a recuperação das pacientes. A medida que o sonho passava, eu ficava melhor dos joelhos. Até que, no final, meus joelhos estavam melhores e eu estava curado. Aí eu acordei e vi que tudo não passava de um sonho. Mas o sonho não parou por aí, pois eu acabei dormindo de novo (estava ainda meio sonolento) e o sonho continuou onde parou. Então, Zoë Vialet, já em clima de despedida (nós dois estávamos saindo da clínica, ambos recuperados), me entregou uma caixa embrulhada para presente, ou seja, um presente, falando comigo em português, com a mesma voz dela no sonho do fogão onde ela andava em cima e falando meio enrolado tal como naquele sonho, acho que até um pouco mais enrolado. Até me chamou pelo nome e dizia que queria me entregar um presente. Nessa parte do sonho, eu sabia que estava sonhando. Porém, não deu tempo de eu pegar a caixa das mãos da moça, pois eu acordei novamente, agora em definitivo.

Esta é a quarta vez que eu sonho com a modelo Zoë Vialet, a terceira contada neste blog (ainda falta contar o sonho onde ela aparece grávida, possivelmente irei contar esse sonho posteriormente, assim como outros sonhos, como o sonho onde eu estava na terra do Fidel Castro). Pelo jeito, outros sonhos com ela virão no futuro.

E vou ficando por aqui, não sei quando eu vou postar de novo, se é daqui a uma semana ou daqui a dois meses, mas podem ter certeza que eu irei postar um dia. E até a próxima blogada, e viva a comunidade Linux versus Windows, do Orkut, a comunidade onde eu mais freqüento, e viva principalmente o tópico Consegui!


Três sonhos bestas em uma só blogada!

2 de dezembro de 2005

Oi, pessoal! Hoje eu vou escrever neste blog mais um sonho com conteúdo erótico. Desta vez, a vítima foi minha prima Daniela. Este sonho foi sonhado há vários meses atrás, talvez há mais de um ano. Sonhei que a Daniela ficava num corredor cor-de-rosa e ela estava completamente nua, e ela ficava se escondendo num tipo de uma fresta por onde ela ficava, para não ser vista pelos que passavam pelo local. Eu passei por aquele corredor algumas vezes. Acho que aquele corredor dava para um outro lugar, acho que dava para algum cômodo do lugar onde eu estava, que eu nem sei que lugar era. Acho que era a casa de alguém que possuía muito dinheiro. Para desespero dos tarados, o sonho foi só isso. É o que eu me lembro. Tomara que os tarados não me batam.

Como esse sonho foi curto, vou contar outro sonho curto, o sonho do buraco na perna. Este foi sonhado há mais de dez anos provavelmente. Sonhei que eu tinha um estranho buraco na minha perna. Acho que era a perna direita. Eu ficava olhando o tal buraco e eu acho que eu até colocava a mão no buraco (não tenho certeza se coloquei ou não) para ver se tinha algo dentro. A sensação era que minha perna era de madeira ou coisa do tipo. Acabou aí, é só isso.

E o terceiro, para encerrar, é um sonho armado. Este foi sonhado há muito tempo, há pelo menos uns seis anos. Sonhei que tinham me dado uma arma de presente. Acho que foi de presente de aniversário. Todo mundo me falava para eu usar a tal arma, mas eu ficava segurando a arma sem fazer nada com ela, eu só ficava olhando aquele revólver. E todo mundo insistia que eu tinha que usar aquela maldita arma, e eu lá, só olhando para o artefato, com este empunhado na mão direita. Até o Tiririca (alguém ainda se lembra dele?) me dizia para eu utilizar aquela arma. E eu não usei a arma. O sonho acabou e eu não usei a arma.

Três sonhos bestas numa única blogada, ninguém merece! Por isso, vou encerrando aqui o post de hoje! Tchau e viva a Mara e suas unhas pintadas de vermelho!


Dupla acidentada e outro sonho tarado

9 de novembro de 2005

Oi, gente! Essa segunda-feira, dia 07/11/2005, eu tive outro sonho com a Sandy e seu irmão, um sonho “acidentado”. Sonhei que a dupla havia se acidentado não sei de que jeito (acho que foi de carro, mas não tenho certeza) e que os dois acabaram com o braço machucado. Tanto a Sandy quanto o Junior ficaram impossibilitados de doar sangue. Mas até que o sonho não foi tão ruim, pois enfatizou a recuperação de ambos, e, no final do sonho (ou ainda no começo, pois me parece que o sonho já começou depois que todas as partes que eu citei anteriormente aconteceram), Sandy e Junior já puderam doar sangue novamente. Não sei se a dupla, na vida real, costuma doar sangue (eu ainda não, mas quem sabe um dia), mas no sonho, era de grande importância que os dois doassem sangue, principalmente a Sandy. Também me lembro que eu tava num lugar meio cinzento e azulado, mas não me lembro direito aonde era, acho que foi lá que eu fiquei sabendo dos acontecimentos em relação à Sandy e ao Junior. E o sonho foi só isso.

Para não ficar no “só isso”, eu vou contar um sonho bastante antigo (antigo e tarado), que eu sonhei faz anos. Sonhei que eu havia ficado invisível meio que involuntariamente. Enquanto eu estava invisível, me dava uma sensação que eu não estava sendo visto por ninguém. Durante todo o sonho, eu ficava andando entre a multidão. Eu fiquei invisível por duas vezes. Na primeira vez, eu nem percebi direito que eu estava invisível, e quando eu percebi, não quis me aproveitar daquilo. Então, eu fiquei pensando, após eu voltar a ficar visível: “Eu acho que eu deveria ter aproveitado que eu estava invisível e eu deveria ter pegado nos seios de uma mulher qualquer que estivesse passando por aí” ou alguma coisa parecida com isto, se bem que eu mesmo não estava muito de acordo com a idéia. Depois de bastante tempo, involuntariamente eu fiquei invisível de novo e, dessa vez, eu cometi um ato tarado. Estava passando bem na minha frente uma moça muito bonita com os seios fartos, que trajava uma blusa cinza clara. E adivinhem o que eu fiz? Acho que vocês já devem ter imaginado o que eu fiz. Ela parou bem na minha frente, acho que era até na porta da antiga escola onde eu cursei o Ensino Médio, fiquei com aquela vontade, aproveitei que eu estava invisível e meti as duas mãos com muita vontade nos seios daquela moça bonita. Alvejei ela com tudo. Ela, é claro, ficou assustada. E bem nessa hora, antes mesmo de eu tirar as mãos dos seios da linda moça, o sonho acabou. Mais um sonho tarado para a coleção. Lembrando que eu não sou tarado na vida real.

Bom, pessoal, este foi o sonho de hoje. E até a semana que vem, com outro sonho, seja esse sonho tarado ou não!