Blog voltando das férias!

Olá, internautas! Hoje, acabam as férias deste meu blog e estou de volta para postar alguns sonhos!

O primeiro sonho relatado este post foi sonhado há poucos dias. Sonhei que a minha mãe teve duas filhas pequenas (e que obviamente eram minhas irmãs). Na vida real, eu tenho apenas o Écio como irmão, nenhuma irmã mulher, embora eu chame a Mara de irmã. Eu sempre quis ter uma irmã menor, mas infelizmente eu acabei sendo o caçula da família. Voltando ao sonho, minha mãe teve duas filhas (como eu já havia dito), uma menor (uns dois anos de idade aproximadamente) e outra um pouco mais velha (uns 4 anos). Eu fiquei sabendo da existência dessas minhas duas irmãs quando elas apareceram junto com a minha mãe e fui informado que elas eram filhas da minha mãe. Sei lá por que elas apareceram tempos depois delas terem nascido e nem sei onde elas ficaram escondidas, eu nem pensei nisso na hora que eu descobri que eu tinha duas irmãs, pois fiquei muito feliz com essa notícia, uma vez que, inclusive na vida real, eu sempre quis ter uma irmã menor que eu. Fiquei feliz principalmente com a irmã mais nova, aliás, no sonho inteiro (que não foi muito longo), a outra menina filha da minha mãe (a mais velha) pouco apareceu no sonho e aparentemente teve menor importância que a outra criança. O nome das duas meninas não me foi informado. O sonho foi apenas isso. Uma informação interessante sobre este sonho é que o ambiente onde se passou a “história” era todo branco e bastante abstrato.

O segundo sonho de hoje foi sonhado (acredito eu) há poucas semanas. Sonhei que eu havia voltado a estudar no primário, retornando às antigas salas de aula da antiga escola (que, para variar, estava diferente da escola da vida real). O motivo para eu ter voltado para o Ensino Fundamental era que ainda faltava uma série para eu cursar (ou parece que eu tinha que cursar a série de novo). Não sei que série que era, mas aparentava ser a quinta série (se bem que quinta série não é primário, é ginásio, mas é tudo a mesma coisa). Lembro-me de ter entrado na sala de aula (que não parecia em nada com a sala de aula da antiga escola) e assistido a aula da professora de não sei que matéria, e acredite se quiser, os pirralhos (que eram meus colegas neste sonho) nem faziam bagunça! Também me lembro de ter andado no pátio da escola, que era bastante cinzento. E foi só.

O terceiro sonho de hoje foi sonhado mais recentemente, acho que foi até essa semana (se eu não estou enganado) e foi praticamente um repeteco do sonho anterior, com a diferença de eu estar fazendo novamente, ao invés de um ano do Ensino Fundamental, um ano do Ensino Médio (acho que era o primeiro ou o segundo ano, acredito eu), e o motivo para eu ter que voltar à antiga escola (que desta vez era um pouco mais parecida com a da vida real) foi que eu não havia cursado aquele ano, ou havia cursado só o começo, ou havia sido anulado, alguma coisa do tipo. Nesse sonho não havia pirralhos, mas colegas adolescentes. Neste sonho (assim como no sonho anterior, acredito eu), deve ter outras coisas que eu não me lembro, mas o principal foi isso mesmo.

E o quarto sonho de hoje (o último) é um sonho bem mais antigo, foi sonhado entre o segundo semestre de 1993 e 1995, provavelmente foi sonhado em 1994, mas não tenho tanta certeza. Sonhei que eu fui para o clube da meleca. Foi assim: Eu estava numa espécie de cozinha junto com outras crianças (na época, eu era uma criança, tinha uns 8 anos mais ou menos), não era bem uma cozinha, mas um lugar que tinha vários cômodos (ou várias seções) e cada seção havia uma “porquice” diferente. Numa seção, alguém se sujava de sorvete (ou do que parecia ser sorvete, uma meleca, na verdade, e acho que era da cor verde), numa outra, alguém afundava num barril contendo a mesma meleca (ou uma outra meleca), que possuía cor bege e que mais parecia com uma maionese, e numa outra seção, havia uma janela com uma moça e ela me perguntou não sei o quê (acho que me perguntou se eu queria sorvete) e eu disse que sim. Então, ela pegou pimenta em pó e tacou nela mesma, polvilhando o próprio cabelo. Eu fiquei triste não sei por quê e a moça me consolou, dizendo que não fazia mal que ela havia tacado pimenta no cabelo e que não sei o quê, ou seja, disse para eu não ficar triste. Não estou certo se as pessoas que caíam nas melecas (com exceção da moça da pimenta no cabelo) eram crianças que haviam parado naquele lugar assim como eu ou eram pessoas do próprio lugar, se sujando como se fosse um espetáculo artístico (um espetáculo de muito mau gosto, por sinal). E no finalzinho do sonho, não sei como eu fui parar naquele barril de maionese (meleca bege), afundando e me sujando completamente. E assim foi este sonho sujo. Acredito que tenha mais detalhes de pessoas se sujando que eu não me lembre mais, mas foi basicamente isso o sonho.

E acabou o post de hoje! Até a próxima blogada (que eu nem sei quando vai ser) e viva os meus sonhos sujos! E que o Geraldo Alckmin caia no barril de maionese (uma vez que ele perdeu a eleição para presidente)!

Anúncios

Comente este post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s